Mulheres... O Sexo Forte

Nos 114 minutos de “Mulheres... O Sexo Forte”, filme escrito e dirigido por Diane English, um fato chama bastante a atenção: nenhum homem irá aparecer em tela. No entanto, não se engane. Apesar de, no papel, as mulheres que vemos serem um pouco frívolas e fúteis, todas as conversas delas acabam voltando para os mesmos temas: parceiros, carreira, família, relacionamento e filhos.

 

O primeiro ato do longa bem que poderia ser chamado de “Mulheres... O Sexo Frágil”. A trama gira em torno de Mary Haines (Meg Ryan), a qual é casada com Stephen, um famoso executivo de Wall Street. Acontece que Stephen anda traindo a esposa com uma vendedora de perfumes da loja Saks Fifth Avenue chamada Crystal Allen (Eva Mendes). As amigas de Mary – Sylvia Fowler (Annette Bening, competente como sempre), Edie Cohen (Debra Messing) e Alex Fisher (Jada Pinkett Smith) – sabem disso e decidem contar toda a verdade para ela.

 

As mulheres do filme de Diane English só se transformam no sexo forte ao qual o título faz referência quando Mary decide deixar de lado o sofrimento pela separação – e traição – do marido e passa a tomar as rédeas da sua vida, colocando em prática planos que andavam esquecidos. Tal atitude vai inspirar, especialmente, Sylvia, que trabalha como a editora de uma revista feminina que só dá prejuízos e vive sendo ameaçada de demissão pelo seu patrão.

 

Nova versão do clássico “As Mulheres”, do diretor George Cukor, de 1939, “Mulheres... O Sexo Forte” é um bom filme para se assistir com as amigas. O longa faz um retrato do lado bom e ruim do relacionamento entre pessoas do sexo feminino e só peca no seu roteiro, que desenvolve de forma pobre as personagens de Debra Messing e Jada Pinkett Smith – para se ter uma idéia, as duas desaparecem no meio da obra e, pior, você nem vai sentir a falta delas.

 

Cotação: 4,8

 

Mulheres... O Sexo Forte (The Women, 2008 )

Diretor: Diane English

Roteiro: Diane English (com base na peça de Clare Boothe Luce e no filme escrito por Anita Loos e Jane Murfin)

Elenco: Meg Ryan, Annette Bening, Eva Mendes, Debra Messing, Jada Pinkett Smith, Bette Midler, Candice Bergen, Carrie Fisher, Cloris Leachman

16 comments

  1. Alex Gonçalves 8 outubro, 2008 at 22:51 Responder

    Kamila, apesar de não fazer parte do público alvo desta comédia queria muito assistí-la. No entanto, o que me chama a atenção aqui é mesmo o time feminino de atrizes que formam o casting. E ando com saudades da Meg Ryan. Mas que penteado feio esse da Debra Messing, não?

  2. Kau 8 outubro, 2008 at 23:33 Responder

    E para vc saber, Kami, um amigo meu disse que Meg Ryan é favorita ao GG de Atriz em Comédia/Musical Oo
    Desde quando? Hahahahahahahaha.

    Minha mãe disse que é um filme bem feminista. Diferentemente de Garçonete que, apesar de ser feminista, não é exclusivo para meninas. Acho que vou ver este filme um dia… rs

    Bjos!

  3. Cecilia 9 outubro, 2008 at 02:43 Responder

    O roteiro do filme dá umas boas escorregadas mesmo e acaba passando a impressão de que tem gente demais e histórias de menos. Mas é bem divertido e, como você disse, um bom programa para fazer com as amigas.

    Beijocas

  4. Lucas [falsooperario] 9 outubro, 2008 at 04:09 Responder

    O elenco até certo ponto é interessante (Candice Bergen, Annette Bening, Carrie Fischer), mas mesmo assim não sinto vontade de vê-lo.

  5. Cassiano Sairaf 9 outubro, 2008 at 14:44 Responder

    Eu tinha gostado do trailer, obviamente que não vou aos cinemas ver isso, tem cara de DVD.

    Gosto da Annette tb, como das outras atrizes, mas essa coisa de sumirem no meio da trama é uma coisa comum em Hollywood.

  6. fabiana 9 outubro, 2008 at 17:08 Responder

    Eu quase vi esse filme terça-feira, mas o título me fez ter um pré julgamento negativo dele! Se me animar, quem sabe.
    Eu me simpatizo com a Debra Missing por causa de Will & Grace, mesmo que ela interprete sempre a mesma mulher vez após vez.

  7. Otavio Almeida 9 outubro, 2008 at 19:36 Responder

    Kamila,

    Li todos os posts. Seu blog continua ótimo! Belos textos apaixonantes sobre suas paixões! Aliás, não vi esse MULHERES… já cansei da Meg Ryan… Vai ficar pro DVD mesmo.

    Bjs!

  8. claesen 9 outubro, 2008 at 20:29 Responder

    Eita, Kamila.

    Não resistiu, é? Disse que não veria o filme. rsrs

    Pois é. A Jada e a Debra desaparecem durante o filme. Parece que elas só estavam ali pra compor um grupo de amigas, qdo a história gira em torno mesmo da Annette e da Meg.

    Enfim. É fraquinho mesmo. Vc sabe que achei o mesmo que vc.

    Bjos.

  9. Kamila 9 outubro, 2008 at 20:44 Responder

    Alex, o elenco do filme é mesmo muito bom! E confesso que o penteado da Debra não me incomoda.

    Kau, concordo com sua mãe e discordo TOTALMENTE de seu amigo! Ele está doido!!!! rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs Beijos!

    Cecília, exatamente! Beijos!

    Lucas, eu acho que muita gente se sente da mesma forma em relação a este filme.

    Cassiano, eu odeio quando os personagens somem de uma hora para outra! Acho que isto não deveria acontecer, mostra falhas de roteiro, mostra a falta de uma solução.

    Robson, acho que não é porque você é homem. Muita gente não quer assistir a este filme porque sabe que ele é de qualidade duvidosa.

    Fabiana, concordo com seu comentário sobre Debra Messing. Ela é uma ótima comediante, mas só pega os mesmos papéis SEMPRE!!!

    Otavio, obrigada! É muito bom vê-lo por aqui novamente! 🙂 Eu estou começando a cansar da Meg Ryan depois dos dois filmes ruins que vi com ela neste ano. Beijos!

    Claesen, fui assistir ao filme porque minha irmã estava com muita vontade de conferir o longa. E é verdade: o longa gira mesmo em torno das personagens de Bening e Ryan. Beijos!

  10. Vinícius P. 10 outubro, 2008 at 10:37 Responder

    Parece que esse filme foi uma das decepções do ano, então. Realmente esperava algo melhor desse “The Women”, até mesmo pelo elenco e o argumento interessante – o trailer, por exemplo, é bastante divertido (e tinha percebido isso mesmo, de que nenhum homem aparece, hehehe). Pelo jeito nem para o Globo de Ouro vai, né?

  11. Kamila 10 outubro, 2008 at 10:52 Responder

    Vinícius, como disse antes, não sei se chega a ser uma decepção porque acredito que muita gente não dava nada por este longa. E nem pro Globo de Ouro deve ser considerado.

  12. Mayara Bastos 12 outubro, 2008 at 21:53 Responder

    Olá, Kamila! Tdo bem?

    Este filme ainda não me despertou a curiosiade. Dizem que ele foi muito mal recebido nos EUA. Parece que a Meg Ryan queria voltar com o pé direito ao cinema, mas parece que não conseguiu com seus filmes anteriores!

    Beijos! E tenha uma ótima semana!

  13. Kamila 13 outubro, 2008 at 10:26 Responder

    Mayara, tudo bem, obrigada. E com você? Realmente, “Mulheres – O Sexo Forte” foi mal recebido nos Estados Unidos. A Meg Ryan, definitivamente não acertou em 2008, porque os dois filmes que assisti dela no ano foram de qualidade abaixo da média. Beijos e uma ótima semana para você também!

Deixe uma resposta