As Duas Faces da Lei

“As Duas Faces da Lei” não é o primeiro filme a nos mostrar que os policiais, às vezes, são obrigados a fazer coisas que fogem daquilo que é considerado como moralmente correto. No entanto, a obra dirigida por Jon Avnet vai entrar para a história do cinema, pois reúne, pela segunda vez, juntos em cena, dois dos maiores atores de todos os tempos: Robert de Niro e Al Pacino – que já estiveram no mesmo elenco de “O Poderoso Chefão 2”, de Francis Ford Coppola, e atuaram juntos em uma única cena de “Fogo Contra Fogo”, de Michael Mann.

 

O filme todo se apóia na prerrogativa de que um policial entra neste tipo de trabalho ou porque é a única opção que possui ou porque quer usufruir o respeito que empunhar uma arma e um distintivo impõem. Turk (de Niro) e Rooster (Pacino) são amigos e parceiros de longa data. Os dois já viram muita coisa nos anos de trabalho como detetives. Porém, o caso que eles estão investigando atualmente os apresentam a algo totalmente novo, já que eles estão no encalço de um serial killer que só vitima aqueles que escaparam da justiça dos homens – ou seja, estupradores, capangas da máfia, cafetões, entre outras figuras do mundo do crime.

 

Se você teve a oportunidade de assistir ao trailer de “As Duas Faces da Lei”, sabe que a peça nos mostrava que o longa de Jon Avnet seria uma experiência, no mínimo, interessante de se acompanhar. Porém, o erro do roteirista Russell Gewirtz (que escreveu “O Plano Perfeito”, de Spike Lee) foi nos apresentar à identidade do possível culpado dos crimes desde o início – já que grande parte do barato de longas assim é tentar descobrir quem é o assassino ao lado dos personagens. Isto e a completa previsibilidade do roteiro acabam com “As Duas Faces da Lei”.

 

Cotação: 5,5

 

As Duas Faces da Lei (Righteous Kill, 2008 )

Diretor: Jon Avnet

Roteiro: Russell Gewirtz

Elenco: Robert de Niro, Al Pacino, Curtis Jackson, Carla Gugino, John Leguizamo, Donnie Wahlberg, Brian Dennehy

24 comments

  1. Alex Sandro Alves 16 outubro, 2008 at 20:12 Responder

    Oi Kamila!

    Não sou fã de ‘Fogo Contra Fogo’ e nem de Robert DeNiro e Al Pacino (hoje superestimados porque nem de longe lembram os grandes atores que já foram um dia – principalmente DeNiro), mas ainda assim estou pensando em conferir este filme no cinema. Mas as críticas nada animadoras estão quase me convencendo que o melhor a fazer é esperar mesmo pelo DVD.

    Um grande abraço!

  2. Kamila 16 outubro, 2008 at 20:31 Responder

    Alex Sandro, concordo que hoje os dois atores são bastante superestimados, já que não participam de um bom filme há longo tempo. Mesmo assim, acho que é importante conferir o filme porque esta é uma oportunidade de ouro para ver dois grandes atores juntos, mesmo que seja numa história meia-boca. Abraço!

    Matheus, eu só assisti ao filme por causa dos dois e porque gosto muito de filmes policiais.

  3. Kau 16 outubro, 2008 at 20:31 Responder

    ”Porém, o erro do roteirista Russell Gewirtz (que escreveu “O Plano Perfeito”, de Spike Lee) foi nos apresentar à identidade do possível culpado dos crimes desde o início…”

    Oo Como assim?? Hahahahahaha. Agora fiquei com real medo de ver este filme. Mas acho que vale um pouco a pena ainda; afinal temos De Niro e Pacino, né?

    Ah! Eu gosto bastante do que Avnet fez em Tomates Verdes Fritos.

    Bjos!

  4. Hugo 16 outubro, 2008 at 22:55 Responder

    Um filme com os dois merece ser visto, mesmo que não seja uma obra-prima. O problema de De Niro foi aceitar papéis em muitos filmes comuns nos últimos tempos, mas isso não pode desmerecer seu talento e o restante de sua carreira.

    Até mais

  5. Alex Gonçalves 17 outubro, 2008 at 01:16 Responder

    Kamila, não tem coisa mais frustrante num suspense do que poder antecipar o seu mistério antes da hora. Assim como todos, o meu único interesse na fita reside na parceria entre Robert de Niro e Al Pacino, dois dos meus atores prediletos em todos os tempos. Só que tenho medo que Jon Avnet entregue um filme à lá “88 Minutos”.

  6. Wally 17 outubro, 2008 at 01:31 Responder

    O meu é o mesmo caso do Matheus. Achei que reviver a dupla do excepcional Fogo Contra Fogo fosse algo bom, mas as críticas estão detonando. Belo aviso, Kamila. Alias, os cinemas desta semana estão poluidos, só filme que não me interessa. O que é uma pena…

    Ciao!

  7. Marcio Claesen 17 outubro, 2008 at 02:31 Responder

    Eu perdi a cabine desse filme e fiquei com uma indagação. Mas agora não me arrependo. Ao contrário de vc, não sou muito fã do gênero policial, queria mesmo ver os dois. Mas, depois de lê-la, acho que dá pra esperar sair em dvd. Até porque, agora tem a Mostra. Amanhã vou ver o dos irmãos Coehn e o do Michel Gondry. O que vc acha? Será que depois de um ótimo filme cada um, eles vão decepcionar? Hum…

  8. Vinícius P. 17 outubro, 2008 at 03:27 Responder

    Hehehe, mas uma opinião pouco entusiasmada em relação a “Righteous Kill”. Acho que o fracasso na bilheteria americana diz muito sobre a decepção que muitos tiveram com esse filme, afinal esperava-se algo memorável para dois atores tão renomados.

  9. Kamila 17 outubro, 2008 at 12:39 Responder

    Kau, para mim, o Avnet só fez mesmo “Tomates Verdes Fritos”. 🙂 Beijos!

    Hugo, concordo plenamente com seu comentário. Até mais!

    Alex, eu até gostei de “88 Minutos”. Achei um filme intrigante, ao contrário deste “As Duas Faces da Lei”.

    Wally, eu estou feliz nesta semana, porque as estréias daqui foram até interessantes e eu finalmente verei “Ensaio Sobre a Cegueira”.

    Pedro, como eu disse, só vale a pena ver mesmo para prestigiar a excelente dupla de protagonistas, numa rara aparição deles juntos. Abraço!

    Claesen, você é um sortudo de morar em SP e, se eu fosse você, nestas semanas em que acontecem a Mostra, só iria assistir aos filmes que passam por lá! 🙂 E espero que você não se decepcione com os filmes que irá assistir amanhã!

    Vinícius, exatamente. E também tem a questão da crise, né? Parece que os norte-americanos estão mais interessados em assistir algo mais leve – vide os fracassos de “Body of Lies” e este “Righteous Kill” e o sucesso de uma obra que tem cara de trash chamada “Beverly Hills Chihuaha”. Abraço!

  10. Kamila 17 outubro, 2008 at 18:48 Responder

    Romeika, isso. Mas, não assista ao filme esperando ver algo sensacional, porque você irá se decepcionar. Bom final de semana!

    Marcus, exatamente. Beijo!

    Robson, se você for um fã enorme dos dois atores, assista logo no cinema. Se não for o caso, acho bom deixar para o DVD. Abraços!

    Guiki, não desanime!!! 🙂 Beijos!

  11. Mayara Bastos 17 outubro, 2008 at 19:01 Responder

    Olá, Kamila! Tdo bem?

    Verei o filme pela parceria entre De Niro e Pacino, o que foi o único motivo para ter estreado no cinema pela distribuidora. Parece ser um típico filme para ver em DVD quando não tem nada interessante na locadora!

    Beijos e um bom Fim de Semana!

  12. Kamila 17 outubro, 2008 at 20:04 Responder

    Mayara, tudo bem, obrigada. E com você? Acho que este é o motivo pelo qual muita gente irá assistir este filme: só mesmo para prestigiar a parceria entre Pacino e De Niro. Beijos e bom final de semana para você também!

    Cassiano, eu li seu comentário no Museu do Cinema sobre o roteiro, mas você vai me permitir discordar de você neste sentido, porque eu achei a história de revelar o suspeito dos crimes logo de início muito ruim. Bom final de semana para você também!

    Ramon, as críticas realmente não têm sido boas, mas você não vai assistir ao filme nem mesmo para conferir a parceria entre De Niro e Pacino???

Deixe uma resposta