Os Estranhos

Se, na vida real, sempre existe a possibilidade de algum tipo de misericórdia; nos filmes de terror, dificilmente, se tem espaço para a possibilidade de um final que tenha algum tipo de compaixão ou comiseração. Tome-se como exemplo o caso de “Os Estranhos”, do diretor e roteirista Bryan Bertino. Desde a primeira cena do longa, ele é implacável. São crianças que irão encontrar – e relatar para as autoridades - uma cena de crime horrorosa e cheia de sangue.

 

A partir deste prólogo, começa-se o flashback que tem o objetivo de nos explicar como tudo teve este desfecho. James Hoyt (Scott Speedman) e Kristen McKay (Liv Tyler) estavam na recepção do casamento de amigos, quando decidiram retornar para a casa de praia da família dele. O silêncio do casal denota que algo de grave aconteceu entre eles (mais tarde, nos será relatado que James pediu Kristen em casamento e recebeu um não como resposta). Sozinhos na casa, incapazes de se encararem e de enfrentarem seus problemas, os dois têm que recorrer um ao outro quando a localidade começa a ser aterrorizada por três pessoas mascaradas.

 

Em sua estréia como um diretor de um longa metragem, Bryan Bertino mostra competência na construção dos algozes de James e Kristen – os quais são frios, calculistas e temidos. No entanto, o diretor sucumbe no desenho daqueles que serão as vítimas do trio. Tanto James quanto Kristen ou o amigo Mike (Glenn Howerton), que vem ao socorro deles, só cometem atos totalmente estúpidos e que nos deixam a impressão de que, se eles tivessem sido mais espertos, o que assistimos no prólogo nunca teria acontecido de verdade e a compaixão teria estado presente.

 

Cotação: 5,5

 

Os Estranhos (The Strangers, 2008 )

Diretor: Bryan Bertino

Roteiro: Bryan Bertino

Elenco: Liv Tyler, Scott Speedman, Glenn Howerton

34 comments

  1. Kau 29 novembro, 2008 at 00:19 Responder

    Kami, eu achei Os Estranhos um filme bem legal, sabe disso. Acho, sim, que há cenas bem exageradas e que só tiveram o intuito de chocar os que assistiam. No mais, o que mais me incomoda são os errinhos de roteiro e, principalmente, aquele grito da Liv no último segundo do filme. Achei isso ridículo demais!!!

    Gosto bastante da idéia de não mostrar a identidade dos foliões, quer dizer, dos mascarados (hhahahahahahahahahahaha). E acredito que a direção é bem despretensiosa, uma vez que não quiz incluir nada de complexo no roteiro.

    Bjos e ótimo fds!

  2. Maurício 29 novembro, 2008 at 00:20 Responder

    Filmes de terror penam para me agradar, não sei porque. Tenho uma queda por adaptações americanas de filmes japoneses, adoro o fraco Dark Walter. Gosto muito da franquia Saw. E, ainda espero uma continuação de A CHAVE MESTRA, que me ganhou pela trama bem amarrada, não pelas cenas de dar medo.

    OS ESTRANHOS, aparenta ser fraco, do tipo de filme do genero que eu não gosto.

  3. Kamila 29 novembro, 2008 at 00:55 Responder

    Kau, os erros do roteiro me incomodaram muito e confesso que não esperava aquele final. JURO! 🙂 Eu também gostei da idéia de não mostrar a face dos algozes e concordo com seu comentário sobre a direção do longa. Beijos e ótimo final de semana!

    Maurício, eu também não sou a maior fã de filmes de terror. Odeio aqueles filmes japoneses e gosto bem mais das refilmagens americanas, que não são lá também obras de boa qualidade.

  4. Kau 29 novembro, 2008 at 01:15 Responder

    Né? Achei que o final seria bem correto e satisfatório por ser baseado em fatos reais. Quando ela gritou, eu olhei para a menina que estava do meu lado e soltei uma gargalhada, hahahahahaha. Horrível, aquilo… Bjos!!

  5. Alex Gonçalves 29 novembro, 2008 at 01:50 Responder

    Kamila, eu não acho que os personagens de Tyler e Speedman foram estúpidos diante do perigo. Acho que esta sensação se apresenta por visualizarmos com mais detalhe do que os próprios personagens o que de fato os vilões estão armando (a intenção deles eram cansar por completo o casal para depois armarem o assassinato de ambos). Como fui fisgado por completo pela tensão insuportável do filme, acho que os mocinhos estavam desorientados, desesperados e fracos o suficiente para acabarem sendo vítimas do trio mascarado.

  6. Vinícius P. 29 novembro, 2008 at 04:00 Responder

    Confesso que fiquei um pouco desanimado após seus comentários, afinal espero que “Os Estranhos” seja um excelente filme para seu gênero. Verei em breve para tirar minhas dúvidas. Bom fim de semana!

  7. Kamila 29 novembro, 2008 at 10:44 Responder

    Kau, o casal que estava ao meu lado preveu que ela iria dar aquele grito…. 🙂 Beijos!

    Alex, se eu tivesse recusado a proposta de casamento de meu namorado, NUNCA que eu iria passar a noite com ele numa casa isolada. Eu iria embora. Na primeira ameaça, eu teria saído correndo daquele lugar. E, por último, qual amigo entra na casa de outro sem ao menos dar um grito procurando por aquele que quer encontrar????

    Pedro, o filme é tenso, sim, mas não assusta.

    Vinícius, veja e, depois, quero ler seus comentários. Bom final de semana!

  8. Alex Gonçalves 29 novembro, 2008 at 11:34 Responder

    Kamila, mas se for assim o filme não acontece, rsrsrs. E a morte do personagem de Glenn Howerton eu já sabia que ia acontecer desde o momento que o Speedman pegou aquele rifre e o amigo dele vai até a casa onde o casal se encontra. Esse momento até me pareceu com um que acontece no filme “A Invasora”, um horror francês onde a protagonista mata a própria mãe se querer, rs. E que medo de você, Kamila. Se os mascarados fossem te visitar acho que eles é quem iriam morrer 😀

  9. Kamila 29 novembro, 2008 at 14:58 Responder

    Alex, eu também imaginei que a morte do amigo iria acontecer. Mas, lembre-se que eu estou falando de forma fria, a situação não aconteceu comigo e a gente sabe que, quando a gente vive as coisas, reagimos à elas de forma muito diferente da que pensamos…. 🙂

    Sérgio, eu deixaria para ver este filme ou em DVD ou na TV.

  10. Alyson 29 novembro, 2008 at 15:19 Responder

    Um filme sem conteúdo. Sem profundidade. Sem tensão. Sem roteiro.
    A parte tecnica (fotografia, câmera e etc..) fazem a capa do trabalho, mas quando você abre ele, não encontra nada!

    Beijos, Kami!

  11. Denis Torres 29 novembro, 2008 at 17:28 Responder

    É isso aí Kamila, quase bateu com a minha nota, que foi 5. O problema desse filme é que esses vilões nem são tudo isso e os erros do casal são no mínimo estúpidos uma vez que eles tiveram várias chances de escapar. No começo até assusta, mas depois não consegui sentir pena ou torcer para algum personagem. Se ao menos eles brigassem de igual para igual com os invasores mas nada disso acontece. Abs.

  12. João Paulo 29 novembro, 2008 at 19:16 Responder

    Mas surge a grande questão, em momentos onde nos estamos vivendo ao extremo, os atos que inicialmente “estupidos” são os mais viaveis de acontecer.
    Bryan Bertino não quis ser mirabolante, mas sim objetivo e concreto. Ele soube fazer muito bem a jogada do horror entre o algoz e a vitima. Acredito que ele fez a coisa certa nesse filme e se for entrar em uma analise da construção vital de um filme de horror padrão, vemos que ele cumpre bem a escola oitentista criada por Halloween de John Carpenter.

    E se for olhar no mais profundo percebe que Os Estranhos não pode ser encorpado, mas ele tem estuturas solidas que os cineastas futuros deveriam compreender, lembra até uma estutura de uma matriz, não importa quantas formulas matematicas possa colocar dentro da equação, ela sempre vai ter a estutura de resolução. a questão é saber se o espectador quer aceitar essa resposta …

    Abraços

  13. Kamila 29 novembro, 2008 at 21:43 Responder

    Alyson, concordo contigo!!!! Beijos!

    Denis, foi justamente este o meu maior problema com o filme. A estupidez do casal. Eles tiveram chances de escapar. Abraços! E dá-lhe, Mecão! Acabei de chegar do jogo e estou felicíssima com a permanência do América na série B! Foi uma vitória corinthiana, num jogo em que o rei foi Fabiano Paredão! Ele foi quem garantiu a vitória para nós com aquelas três defesas incríveis. Quanto ao time do Corinthians que veio aqui? PODRE!! Espero que todos sejam dispensados! 🙂

    João, seu comentário foi muito profundo, eu não o entendi muito bem, mas vou discordar de você quanto à qualidade deste filme. Abraços!

    Rafael Moreira, então vou esperar ler sua opinião sobre o filme. Abraço e bom domingo!

  14. Denis Torres 29 novembro, 2008 at 21:48 Responder

    Kamila, pelo jeito o seu time aí em RN é o América, né? Bem, esse jogo para o Corinthians não tinha nenhuma importância e o América se salvou de ir para a série C. Deu pra ver que o elenco do Corinthians vai ter que sofrer uma reposição de peças urgente! Abs.

  15. Kamila 29 novembro, 2008 at 22:33 Responder

    Denis, torço pelo Mecão aqui em Natal! Concordo que o jogo não teve importância nenhuma para o Corinthians, mas, aqui, ninguém esperava que o América fosse ter uma partida fácil – tanto que o time sofreu muito para manter a vantagem no placar. E tanto o Mecão quanto o Timão precisam de reposição de peças urgentemente! Abraços!

  16. Mayara Bastos 30 novembro, 2008 at 15:08 Responder

    Olá, Kamila! Tdo bem?

    Ainda não vi “Os Estranhos”, ainda não chegou próximo de casa, ele nem “[REC]”. Mas se não chegar nenhum dos dois, verei em DVD mesmo!

    Beijos e um ótimo domingo! 😉

  17. Luciano Lima 30 novembro, 2008 at 15:31 Responder

    Concordo com o Alex, Kamila. Acho que nisso o roteiro não falha, justamente por simular as tentativas desesperadas de alguém que só quer sobreviver. Não é como um The Hills Have Eyes, com protagonistas curiosos quando na verdade deveriam estar a léguas de distância do local. Eu senti que até mesmo a “idiotice” foi bem tratada, visto que, em meio ao pânico absurdo que se estabelece, é exigir demais que os personagens tenham tanto discernimento. Eu tomaria praticamente todas as atitudes que eles tomaram. O_O

  18. Kamila 30 novembro, 2008 at 15:41 Responder

    Mayara, tudo bem, obrigada. E com você? Espero que consiga assistir aos dois filmes. Beijos e um ótimo domingo!

    Luciano, como eu disse, é muito fácil, para mim, analisar de fora, já que não vivi a situação. Mas, eu tomaria, sim, atitudes totalmente diferentes das que foram tomadas pelos personagens. Acho que eles marcaram bobeira total!

  19. Kamila 30 novembro, 2008 at 20:45 Responder

    Dudu, não é um terror tosco. Tem gente que gostou, mas eu nem me senti tensa. Se fosse você, eu assistiria “REC”, que é bem mais legal. Beijos!

  20. Marcio 1 dezembro, 2008 at 12:21 Responder

    Fui numa tremenda expectativa assistir esse filme, cujo trailer me enganou por completo, e me decepcionei. Clima tenebroso, mas de fato as reações dos personagens estavam completamente aquém do q naturalmente se esperaria. Nunca um trailer me enganou tto desde A Liga Extraordinária. Pena não ter visto tua nota no blog antes Kamila. Abraços!

  21. Alex Sandro Alves 1 dezembro, 2008 at 12:39 Responder

    Como afirmei anteriormente gostei bastante de ‘Os Estranhos’! Mesmo como pouquíssimos diálogos Bertino conseguiu criar um clima sufocante e tenso por demais com a iluminação e os efeitos sonoros. A postura fria e calculista (e até as máscaras) dos jovens assassinos pra mim também foram um acerto, e aumentarem consideravelmente o clima de medo instalado naquela casa de campo. Minha única ressalva é justamente seu último momento. Gratuito e desnecessário.

    Agora muito se comenta das atitudes equivocadas dos personagens, mas uma coisa é dizer “ah, eu não agiria assim, eu não faria aquilo”, estando fora da situação, e outra é estar de fato sendo atacado por pessoas que não tem nada a perder, num local sem comunicação, distante de tudo, onde o desespero e o medo já tomou conta de você, sem falar que emocionalmente o casal já estava em frangalhos devido o rompimento do namoro. Poxa gente, em momentos de alto estresse e medo absoluto como agir friamente?

  22. Kamila 1 dezembro, 2008 at 16:52 Responder

    Marcio, como eu não assisti ao trailer deste filme, vou me eximir de comentar sobre a decepção que ele traz a partir do momento em que a gente assiste “Os Estranhos”. Abraços!

    Alex Sandro, eu concordo que a postura fria e calculista dos assassinos foi um enorme acerto do diretor, mas o filme nunca me passou a impressão de ter um clima tenso ou assustador. E você vai direto ao ponto: falo das atitudes estúpidas, mas estou analisando tudo isto friamente. Deus me livre de passar, algum dia, por algo parecido.

    Romeika, e o pior é que só tem personagens estúpidos em filmes de terror!!!!!! Quantas vezes a gente não pensa: “Corre”, “Não entra dentro da casa” assistindo a um filme do gênero.

  23. Alexandra 4 julho, 2010 at 11:14 Responder

    eu gostava de ver se vocês numa situação daquelas fariam algo melhor que as personagens.. sim porque nos filmes eles são todos corajosos, ao menos neste mostra mais a realidade… de que nós seres humanos perante o perigo nem sempre tomamos opções correctas, somos estúpidos por causa do medo. não é um filme de terror , é um suspense… terror não é assim. mas é um filme que me deixou colada á tv sinceramente.

    Ta um bom filme, tirando a parte do fim. na minha opinião.

    • Kamila 4 julho, 2010 at 20:32 Responder

      Alexandra, é fácil falar de fora, mas as decisões gerais dos personagens em filmes de terror são sempre assim, totalmente clichês….

Deixe uma resposta