A Verdade Nua e Crua

A personagem que Katherine Heigl interpreta em “A Verdade Nua e Crua” é muito parecida com as outras que ela fez em longas como “Ligeiramente Grávidos”, de Judd Apatow, e “Vestida Pra Casar”, de Anne Fletcher. Mulheres que vivem para o trabalho, relegam a sua vida amorosa e que se vêem envolvidas com homens que não são tão perfeitos, mas vão acabar se revelando os melhores para elas. 

Aqui, Heigl faz Abby Richter, produtora de um programa diurno de TV que está em maus lençóis por causa da baixa audiência. A solução encontrada pelos chefes da emissora é a contratação de Mike Chadway (Gerard Butler, delicioso como um cafajeste irresistível), um cara que chama a atenção pela sinceridade com que aborda os relacionamentos amorosos – basta dizer que ele não tem medo de se assumir como o vilão que vai acabar com as fantasias femininas do príncipe encantado e do relacionamento perfeito. 

Grande parte de “A Verdade Nua e Crua” se apoia numa storyline bem parecida com a de “Hitch – Conselheiro Amoroso”, de Andy Tennant. Mike assume o inusitado papel de mestre de Abby na arte de conquistar um homem – no caso, o cirurgião Colin Anderson (Eric Silver) - e de se apresentar da maneira certa para deixá-lo completamente caidinho aos seus pés. Interessante é perceber que todas as faíscas típicas de um amor ocorrem nas interações entre Mike e Abby, e não entre esta e Colin. Portanto, não é preciso ser um expert na arte de amar para saber como esta história irá terminar. 

Dirigido por Robert Luketic, “A Verdade Nua e Crua” é uma comédia romântica que presta um importante papel ao nos apresentar algo diferente dos romances idealizados típicos desse gênero cinematográfico. O filme nos mostra que o amor vem do conhecimento, do convívio, da aceitação das qualidades e dos defeitos do outro, da vontade de ceder, do desejo de rir um com o outro e de não levar as coisas tão a sério - apesar de que a transformação do personagem de Gerard Butler é difícil de ser engolida. Por isso, não feche a porta na primeira dificuldade apresentada. Persista! Quem sabe algo mágico não irá acontecer.

Cotação: 6,5

A Verdade Nua e Crua (The Ugly Truth, 2009)
Diretor: Robert Luketic
Roteiro: Nicole Eastman, Karen McCullah Lutz e Kirsten Smith (com base na história criada por Eastman)
Elenco: Katherine Heigl, Gerard Butler, Bree Turner, Eric Winter, Cheryl Hines, John Michael Higgins

31 comments

  1. Paulo Montanaro 5 outubro, 2009 at 23:45 Responder

    Fiquei realmente bem curioso para assistir esse filme, mesmo não esperando uma grande obra cinematográfica. Na verdade, acho que é isso mesmo que espero quando vou ver uma comédia romântica.. mais do mesmo… e as vezes isso é bom porque ajuda a me surpreender de vez em quando! rs

    Há braços

  2. Alexandre 6 outubro, 2009 at 00:11 Responder

    Eu (repetindo) não consigo desligar meu cérebro e ver um filme só por ver. Não entendo o cinema dessa forma, e acho que um dos motivos para a baixa qualidade da maioria das produções apresentadas hoje é justamente essa falta de vontade do público em geral de pensar.

    Sobre o filme: não vi, mas gostei bastante de Ligeiramente Grávidos e achei uma enooooorme porcaria Vestida Para Casar.

  3. Carol 6 outubro, 2009 at 00:19 Responder

    Kamila,
    aêê, finalmente um filme que eu já assisti! rsrs
    Bom, foi um parto convencer meu namorado a assistir esse filme e no final vi que ele tinha se divertido mais do que eu ao se deparar com o machista Mike Chadway…
    Eu achei o filme bem fraquinho, mega clichê e sessão da tarde.
    E concordo plenamente que a transformação do personagem de Butler foi difícil de engolir.
    Beijo!

  4. Bruno 6 outubro, 2009 at 00:22 Responder

    “Ele Não Está Tão a Fim de Voce” e “A Proposta” estão entre os meus guilty pleasures do ano, mas esse eu achei simplesmente um horror.

    Bjos!

    • Kamila 6 outubro, 2009 at 01:08 Responder

      Alexandre, mas, se a gente pensar bem, a maioria das pessoas quer ir ao cinema para assistir a filmes assim, que fazem com que a gente não tenha que pensar muito… As pessoas querem mais se divertir e atenuar os problemas de sua rotina!

      Carol, o filme é totalmente clichê e sessão da tarde e acredito que seja fácil pros homens se identificar com o personagem do Butler. Beijo!

      Bruno, eu gostei dos três filmes, incluindo os dois citados por você. rsrsrsrsrs Beijos!

  5. João Paulo 6 outubro, 2009 at 01:11 Responder

    Quando falasse no inicio da “versatilidade” da atriz … fiquei com meda …

    Não sei … tem pra baixar … assim economizo cacau … eheheh
    Mas vc viu tmb o classico dela que é a sua participação em Força em Alerta 2 fazendo a sobrinha do mestre Segal?
    eheheh

    Abrazitos!

  6. luis galvão 6 outubro, 2009 at 01:23 Responder

    mesmo não sendo o tipo de filme que eu goste, sempre assito por causa de katherine (ela é muito bonita, e se ‘encaixa’ nos papéis romântico-sonhadores). nesse não foi diferente, ela como a mesma cara de sempre, alguns risinhos, mas nada de mais. porém cumpre seu papel de comédia romântica. quem gosta, curti.

    • Kamila 6 outubro, 2009 at 02:13 Responder

      Anderson, feminista??? Esse filme é extremamente MACHISTA!

      João Paulo, a Heigl é a nova rainha das comédias românticas… E nunca vi “Força em Alerta 2”, mas os atores têm que começar em algum lugar, né?? Abraços!

      Luís, eu adoro a Katherine e concordo: o filme cumpre seu papel de comédia romântica.

  7. Alexandre 6 outubro, 2009 at 05:23 Responder

    Sim, eu entendo , mas pra mim não entendo dessa forma. Toda vez que me deparo com um filme com essa premissa já vou com os dois pés atrás, e geralmente não me decepciono rsrs.

    A última atrocidade que vi foi Delírios de Consumo de Becky Bloom… que martírio rsrs.

    • Kamila 6 outubro, 2009 at 23:00 Responder

      Victor, eu também ri horrores com esse filme. 🙂

      Alexandre, mas “Delírios de Consumo de Becky Bloom” é tão legal! rsrsrsrsrrrs

      Louis, a Heigl estava meio irritante nesse filme, confesso! Beijo! 🙂

  8. Mayara Bastos 6 outubro, 2009 at 16:37 Responder

    Tenho curiosidade por causa do Gerard Butler, que em alguns lugares falaram muito bem da atuação dele no filme, mas vou esperar em DVD, já que o filme não estreou próximo de casa.

    Beijos! 😉

    • Kamila 6 outubro, 2009 at 23:02 Responder

      Otavio, a Katherine Heigl é linda, talentosa e carismática. Beijos!

      João, eu prefiro a Heigl! rsrsrsrsrs

      Mayara, eu acho que este filme é perfeito pro DVD! Beijos!

  9. Vinícius P. 7 outubro, 2009 at 03:12 Responder

    A Katherine Heigl precisa arrumar alguns trabalhos melhores no cinema. Se bem que eu gostei MUITO de “Vestida Para Casar”, que certamente passou longe de ser um sucesso de crítica.

    • Kamila 7 outubro, 2009 at 22:45 Responder

      Wally, tem, sim… Mas, não assista a este filme esperando muita coisa.

      Alexandre, eu não te odeio! 🙂

      Vinícius, eu concordo contigo. A Katherine é melhor que alguns dos últimos filmes que estrelou.

  10. Paloma 9 outubro, 2009 at 17:36 Responder

    Eu gosto de comédias românticas, mas confesso que fui ao cinema somente para ver meu ator favorito Gerard Butler(eu realmente amo o trabalho dele e ele também, claro). Adoro também a atriz Katherine Heilg (por causa de Grey’s Anatomy) ela é uma ótima atriz.
    E pra completar a música do começo do filme eu adoro (por algum motivo)
    Hot’n’cold da Katy Perry. Resumindo eu adorei o filme.

    beijos

  11. WILLIS DE FARIA (Cinefilomaniacos) 18 novembro, 2009 at 01:20 Responder

    Em “A Verdade Nua e Crua”, Abby (Katherine Heigl), uma produtora de um programa de televisão matinal, em Sacramento, que não está tendo muita audiência. Sem seu conhecimento, seu chefe contrata Mike (Gerard Butler) que apresentava um programa em um canal concorrente, de modo a mexer com o segmento sobre como as mulheres que não entendem as necessidades dos homens animais. Abby fica consterna, com a contratação, devido o extremo machismo do novo contratado. Contra seu melhor juízo Abby começa a tomar o conselho do Mike sobre como conquistar o homem dos seus sonhos, que ela vez como o seu vizinho, o médico Eric Winter e os seus conselhos para conquista vai ter conseqüências previsíveis. O filme é rápido e não se arrasta. Toda a moral do filme é algo que ambos os homens e as mulheres podem se relacionar, e algumas cenas são apenas hilariantes para todos os tipos de público. Que filme divertido! No entanto, se você pode relaxar e assistir este filme, na certeza de que você vai gostar deste. Este filme é uma mistura do humor pastelão romântico e com um pouco de cenas clássicas picantes acionadas para nos divertir. Este é um dos filmes que você sabe exatamente como isso vai terminar. Nota: 6,0.

Deixe uma resposta