O Contador de Histórias

Guardadas as devidas proporções, “O Contador de Histórias” é o “Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas” do cinema brasileiro. Assim como o filme de Tim Burton, o longa de Luiz Villaça tem como personagem principal alguém que vê elementos de fantasia em sua vida e que usa a sua fértil imaginação para transformar em algo extraordinário eventos que seriam completamente fortuitos. 

Baseado na história real do mineiro Roberto Carlos Ramos (o qual é interpretado por diversos atores desconhecidos e que representam as muitas fases de sua vida), menino que, na infância, foi deixado pela mãe na porta da FEBEM, aonde recebeu “educação” e teve sua formação como pessoa iniciada. Na instituição, Roberto ainda entraria em contato com a violência, com o descaso e começou uma trajetória de vida totalmente errante. 

Certamente, Roberto Carlos Ramos seria mais um jovem que terminaria inserido na criminalidade, mas ele teve a sorte de conhecer e de chamar a atenção de Margherit (Maria de Medeiros), uma francesa que estava na FEBEM para fazer uma pesquisa com os meninos que ali moravam. Em troca de contar a sua história para ela, Roberto ganha casa, comida, roupa lavada, amor e um ambiente sólido aonde poderá desenvolver todo o seu potencial e fazer algo de bom com a sua vida. 

“O Contador de Histórias” emociona e cativa justamente por ter como personagem principal alguém que é gente como a gente e que conseguiu encontrar seu caminho, retribuir a ajuda que recebeu e ser feliz com suas escolhas. Neste sentido, Luiz Villaça acaba sendo o diretor perfeito para este projeto, uma vez que ele é quase expert na transposição de histórias de pessoas comuns, como prova a vasta experiência que ele ganhou no finado quadro “Retrato Falado”, que ia ao ar no Fantástico e era estrelado pela sua esposa Denise Fraga – outros envolvidos no filme, como os roteiristas Maurício Arruda, José Roberto Torero e Mariana Veríssimo eram outros colaboradores do quadro. 

Cotação: 9,0

O Contador de Histórias (The Story of Me, 2009)
Diretor: Luiz Villaça
Roteiro: Maurício Arruda, José Roberto Torero, Mariana Veríssimo e Luiz Villaça
Elenco: Maria de Medeiros, Marco Antônio Ribeiro, Paulo Henrique, Clayton dos Santos da Silva, Mallu Galli, Ju Colombo, Daniel Henrique da Silva

18 comments

  1. Bruno Soares 24 novembro, 2009 at 23:42 Responder

    a referência a PEIXE GRANDE me deixou curioso. e normalmente prefiro esses diretores brasleiros iniciantes do que os dinossauros. rs

    bjs!

  2. Reinaldo Matheus Glioche 24 novembro, 2009 at 23:43 Responder

    Oi Ka, tudo bem?

    Ainda não tive a oportunidade de ver o filme. Em mais uma feliz coincidência entre meus pensamentos e os seus,havia pensado em Peixe grande( filme que simplesmente adoro) quando li a respeito de O contador de histórias. Confesso que isso me afastou do filme a princípio. Seu texto o recupera para mim. Bela resenha Ka.
    Bjs

    • Kamila 25 novembro, 2009 at 00:28 Responder

      Bruno, o Luiz Villaça é ótimo e fez um filme que surpreende a gente positivamente pela qualidade. Beijos!

      Reinaldo, tudo bem, obrigada. E com você? Obrigada! Beijos!

      Cleber, confira mesmo!

    • Kamila 25 novembro, 2009 at 22:29 Responder

      Priscilla, e fizemos uma excelente fantasia! Beijos!

      Diego, espero que goste do filme. Abraços!

      João Paulo, na falta de “À Deriva”, acho que este filme seria perfeito para nos representar no Oscar.

Deixe uma resposta