Natal - Encruzilhada do Mundo

Localizada em uma área estratégica do Brasil, sendo o ponto mais próximo entre o continente americano e o africano, bem como a Europa, durante o século XX, Natal, capital do Estado do Rio Grande do Norte, se destacou como ponto fundamental para o desenvolvimento das primeiras rotas de correio aéreo transatlântico, na década de 30, com ligações diretas entre o Brasil e a França, bem como a Alemanha e Itália; e, em conseqüência disso, acabou tendo um papel importante no desenrolar da história da aviação do Brasil.

O documentário “Natal – Encruzilhada do Mundo”, do diretor Fred Nicolau, foi produzido pela Fundação Rampa, entidade criada há 10 anos com o intuito de preservar uma antiga base de hidroaviões localizada no bairro de Santos Reis, com o objetivo de contar a história da cidade do Natal associada ao desenvolvimento da aviação. Os envolvidos no projeto se dedicaram à obra (que teve apoio das leis de incentivo à cultura da Prefeitura Municipal do Natal) pelo período de dois anos e recolheram cerca de 40h de depoimentos, o que deve resultar em mais obras sobre este assunto.

O roteiro aborda desde a primeira grande figura da aviação potiguar, Augusto Severo (pioneiro da aviação que faleceu enquanto fazia um voo na cidade de Paris e cujo nome, atualmente, batiza o Aeroporto Internacional da cidade), passa pelas rotas de correio aéreo transatlântico, até culminar no período áureo desse tema: a presença maciça dos norte-americanos em Natal e em Parnamirim, durante a II Guerra Mundial, por ocasião da montagem da base do país na cidade (vale lembrar que a comédia “For All – O Trampolim da Vitória”, de Buza Ferraz e Luiz Carlos Lacerda, fala sobre o mesmo assunto). É a partir deste enfoque que “Natal – Encruzilhada do Mundo” deixa de ser um filme didático e passa a ser uma obra sobre o impacto que a presença dos norte-americanos teve para o desenvolvimento da cidade e para o crescimento – cultural e econômico - de seus habitantes, com depoimentos ricos – e, em alguns casos, bem humorados – de gente que foi testemunha direta desta época.

No folder que divulga o documentário, a Fundação Rampa mostra que o objetivo principal deste filme era transmitir a importância de Natal para a história da aviação. Após assistirmos à obra, “Natal – Encruzilhada do Mundo” fica como um fundamental registro histórico de uma época áurea da cidade, num tempo que foi extremamente difícil (a II Guerra Mundial). A presença dos norte-americanos na cidade deixou marcas que podem ser vistas em Natal até hoje, como as famílias que desse encontro surgiram, as empresas que foram montadas, a estrutura (mesmo que, hoje, esteja completamente abandonada) que nos foi deixada. Enfim, o documentário tem o importante papel de resgatar um valor histórico de Natal e mostrar à população mais jovem um pouco do papel que a cidade desempenhou, especialmente num período crítico e marcante da história do mundo.

Cotação: 7,0

Natal – Encruzilhada do Mundo (2011)
Direção: Fred Nicolau
Produção: Fundação Rampa

12 comments

  1. Victor Nassar 12 maio, 2011 at 13:54 Responder

    Nossa, bem interessante e de alto valor histórico! Pena que esse tipo de produção não tem o merecido destaque pelo Brasil. Mas se houver a oportunidade, gostaria de ver. E claro, adoraria passar umas férias em Natal também! haha

    • Kamila 12 maio, 2011 at 22:36 Responder

      Victor, exatamente. Uma pena mesmo que esse tipo de produção não alcança o destaque que merece. E venha, sim, passar férias em Natal! 🙂

  2. Nerilene 16 maio, 2011 at 14:53 Responder

    Olá Kamila,
    Sou aluna do Curso de Cinema do Centro Cultural de Natal(CCN) e minha turma estamos à promover a 1° Mostra Cultural do CCN para junho e gostaria de como posso entrar em contato com o diretor do filme, Fred Nicolau para uma possível projeção e discursão sobre o longa.Caso você tenha algum contato disponível(e-mail,telefone) do diretor, serei grata.
    Obrigada pela atenção.

  3. Carlos Gomes 15 junho, 2011 at 19:33 Responder

    O documentário é realmente um trabalho sério e resgata um pouco a memória da II guerra mundial. Vejam que o filme da vinda de Roosevelt eu desconhecia, só sabia das fotos. É realmente algo que merece destaque especial. Espero que seja o primeiro, de uma série, pois ainda temos restos de navios encoberto pelas águas e que merecem ser pesquisados. Parabéns Fered e os companheiros que o ajudaram.
    Um respeitoso abraço de Carlos Gomes, do Inst. NR de Genealogia, IHGRN, ALEJURN, AML, FINSC e outras entidades culturais.

    • Kamila 15 junho, 2011 at 23:37 Responder

      Carlos Gomes, com certeza, este é um filme que merece destaque especial. Espero também que seja o primeiro de uma série de filmes! Abraço e obrigada pela visita e pelo comentário!

Deixe uma resposta