Os Melhores Filmes de 2011

publicado em:28/12/11 1:57 AM por: Kamila Azevedo Diversos

Dando continuidade à nossa retrospectiva de final de ano, chegou a hora da publicação da nossa lista dos Melhores Filmes de 2011, de acordo com a data de lançamento das obras nos cinemas brasileiros. Para tanto, estamos levando em consideração todos os 184 filmes que assistimos neste ano, até a data de hoje (27 de dezembro de 2011), cuja lista pode ser encontrada aqui.

Os Melhores Filmes de 2011

01. Cisne Negro (Black Swan, 2010, dirigido por Darren Aronofsky)

O filme nos surpreende e nos deixa sem estrutura. A gente mergulha junto da viagem de Nina. Por transcender qualquer tipo de limite, acaba sendo uma obra muito bem construída e totalmente merecedora de suas cinco indicações ao Oscar 2011. E só ficamos com uma constatação:  a perfeição deixou de ser uma utopia. Ela foi alcançada. Todos nós sentimos.
(Crítica publicada em 22 de fevereiro de 2011)

02. Lixo Extraordinário (Waste Land, 2010, dirigido por Lucy Walker)

Documentário indicado ao Oscar 2011 da categoria, “Lixo Extraordinário” é um filme deveras emocionante, por vários fatores. Primeiro: por mostrar que a democratização da arte e da cultura por meio de uma ação social positiva tem, sim, o poder de modificar a vida das pessoas, como comprova o destino dos catadores que participaram do projeto de Vik Muniz. Segundo: por nos revelar que a magia da criação de algo artístico pode estar presente até mesmo nos cantos mais inusitados – e presenciar isso é, por si só, algo muito bonito. Terceiro – e mais importante: num país extremamente preocupado – e cheio de preconceitos – com convenções e classes sociais, retratar uma história como essa mexe com a auto-estima, não só dos envolvidos no projeto, como suscita toda uma noção de respeito por pessoas que dedicam a sua vida a mexer com os piores dejetos, com aquilo que todo mundo descarta. Não é todo mundo que tem essa dureza, essa resistência.
(Crítica publicada em 08 de setembro de 2011)

03. 127 Horas (127 Hours, 2010, dirigido por Danny Boyle)

Fazer um filme assim é muito difícil, mas, assim como Robert Zemeckis fez em “Náufrago”, Danny Boyle nos entrega um longa que chega a ser inspirador em determinados momentos. E o grande “culpado” disso é James Franco, ator que é a figura dominante em tela, que está em todas as cenas de “127 Horas” e que consegue passar todas as fases emocionais de alguém que se vê numa situação como a que Aron Ralston vive com muita dose de verdade. Com a câmera lhe focalizando o tempo inteiro, muitas vezes em closes, a sensação que nos passa é a de que Aron Ralston não está sozinho naquela rocha. A gente está ali com ele, vivenciando todos aqueles sentimentos e toda aquela agonia. É uma grande história, retratada num sólido filme.
(Crítica publicada em 08 de junho de 2011)

04. O Pequeno Nicolau (Le Petit Nicolas, 2009, dirigido por Laurent Tidard)

Este filme francês é uma obra em que as crianças ocupam o primeiro plano. Apesar dos atores adultos demonstrarem muita competência (especialmente aqueles que interpretam os pais de Nicolau), o casting foi extremamente feliz na escalação de todos os meninos que fazem parte da turminha de Nicolau. Todos são muito talentosos, engraçados e atuam de uma forma tão natural (não sei se estes meninos são atores treinados ou não, não sei o quanto trabalho o diretor teve para treiná-los e arrancar deles as performances que eles entregam) que nós nos sentimos conquistados logo de cara, desde o prólogo, desde o instante em que eles nos são apresentados. São eles as estrelas do longa e que trazem a leveza, o caráter fantástico e a comédia que esse filme têm. Uma agradabilíssima surpresa!
(Crítica publicada em 04 de fevereiro de 2011)

05. Além da Vida (Hereafter, 2010, dirigido por Clint Eastwood)

Com “Além da Vida”, Clint Eastwood retoma um elemento em que ele é um verdadeiro mestre: aquele drama que se torna familiar para a gente, com pessoas críveis e situações comuns. Aqui, ele retoma uma verve que não se via desde “Cartas de Iwo Jima”. Preste atenção, particularmente, às cenas em que George aceita compartilhar seu dom com outras pessoas – especialmente as que contam com Bryce Dallas Howard e os meninos Frankie e George McLaren. São nelas que se encontram toda a essência deste filme. Esqueça o final hollywoodiano “feliz” que acontece mais na frente. Fique com esses momentos mesmo porque “Além da Vida” fala da retomada do controle da nossa própria existência face o momento em que nos encontramos mais fracos.
(Crítica publicada em 02 de fevereiro de 2011)

06. Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte Dois (Harry Potter and the Deathly Hallows – Part Two, 2011, dirigido por David Yates)

O diretor David Yates, mais conhecido pelo seu trabalho na TV inglesa, também acaba comprovando o porquê da confiança recebida dos produtores dessa franquia. A responsabilidade de fechar a saga era grande, mas, com “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte Dois”, o diretor realiza um filme digno de figurar nas listas de melhores do ano e que alia um bom roteiro à ótima execução, com destaque para os efeitos visuais, a direção de arte e a trilha sonora composta pelo francês Alexandre Desplat. Não será surpresa se este filme for lembrado nas premiações da temporada 2011-2012.
(Crítica publicada em 27 de julho de 2011)

07. Enrolados (Tangled, 2010, dirigido por Nathan Greno e Byron Howard)

Em sua essência, “Enrolados” é aquele tipo de animação que retoma todos os elementos clássicos de outros filmes produzidos, nesse mesmo gênero, pela Walt Disney Studios. No filme, encontramos marcas como a vida tratada como se fosse uma fantasia, as canções grudentas (cortesia do mestre Alan Menken) que nos apresentam muito dos personagens, o final feliz, as diversas lições de morais. Enfim, nesta 50ª animação da Disney, encontramos a volta a um estilo mais clássico, a busca por uma aproximação com todos aqueles filmes que nos acompanharam desde a mais tenra idade. É uma obra que encanta e conquista e que alcança seu ápice emocional na linda cena criada para mostrar Flynn e Rapunzel assistindo às lanternas subindo aos céus e cantando “I See the Light” Nada é mais Disney do que isso.
(Crítica publicada em 21 de janeiro de 2011)

08. A Pele que Habito  (La Piel que Habito, 2011, dirigido por Pedro Almodóvar)

Quando “A Pele que Habito” muda o foco de Robert para Vera, temos o desenho de uma guinada que tira o tempo do espectador, porque nos pega totalmente desprevenidos para o que estava por vir. E é aqui que Almodóvar começa a destilar toda a sua genialidade, em cenas totalmente cortantes que representam um conflito de uma pessoa presa num corpo que, na verdade, não lhe pertence e que teve sua identidade completamente tolhida, mas que sabe que, por baixo de tudo aquilo, ela está ali pulsando e querendo se revelar. “A Pele que Habito” não é um filme sobre um homem que faz as coisas mais absurdas por amor, e sim uma obra sobre alguém que passa a ser diferente, não por sua escolha própria. É uma obra tipicamente Almodovariana, com uma visão feminina e masculina, com drama e comédia, com cores e sombras, com exageros e sobriedades, tudo ao mesmo tempo.
(Crítica publicada em 08 de dezembro de 2011)

09. Reencontrando a Felicidade (Rabbit Hole, 2010, dirigido por John Cameron Mitchell)

Além do excelente roteiro de David Lindsay-Abaire, e, claro, da direção de John Cameron Mitchell, os elementos de destaque de “Reencontrando a Felicidade” acabam sendo a atuação de um elenco altamente consistente, que consegue passar com um realismo notável a sensação de que o peso da perda vai se dissipando aos poucos, uma vez que esta é uma dor que nunca passa. Mas, a gente segue em frente, especialmente porque tem uma vida toda a nos esperar, como bem mostra a linda cena que encerra este filme.
(Crítica publicada em 08 de agosto de 2011)

10. A Árvore da Vida (The Tree of Life, 2011, dirigido por Terrence Malick)

“A Árvore da Vida” é aquele tipo de filme que potencializa todo o estilo Terrence Malick de filmar. Um diretor afeito a tomadas com longos silêncios, algumas com caráter bastante onírico, neste longa o diretor usa e abusa de cenas que retratam o céu, a natureza e os elementos cósmicos. Em alguns instantes, isto atua contra sua obra, deixando-a com um ritmo um tanto arrastado. Um outro problema encontrado em “A Árvore da Vida” é em relação às transições entre os diferentes pontos de vista narrativos, que, às vezes, são muito bruscas. Entretanto, estes problemas são pequenos diante da beleza e da riqueza do filme que Malick nos entrega, o qual fala sobre a coexistência do mal e da fé; do sofrimento dos justos e dos inocentes; daquilo que acontece com a gente e nós não entendemos, mas que é fundamental para fazer de nós aquilo que somos; e, principalmente, da natureza da relação entre o homem e Deus – ou entre o homem e a entidade na qual ele deposita a sua fé. Talvez, por isso mesmo, podem ser encontradas tantas referências, dentro do filme, ao Livro de Jó, que retrata, na Bíblia, basicamente, quase os mesmos conflitos de dúvida e de reafirmação constante da fé por meio da vivência do sofrimento.
(Crítica publicada em 12 de dezembro de 2011)

O Melhor Filme do Ano: “Cisne Negro”
O Melhor Diretor do Ano: Darren Aronofsky, “Cisne Negro”
O Melhor Ator do Ano: Javier Bardem, “Biutiful”
A Melhor Atriz do Ano: Natalie Portman, “Cisne Negro”
O Melhor Ator Coadjuvante do Ano: Christian Bale, “O Vencedor”
A Melhor Atriz Coadjuvante do Ano: Charlotte Gainsbourg, “Melancolia”
O Melhor Roteiro Original do Ano: Andres Heinz, Mark Heyman e John J. McLaughlin, “Cisne Negro”
O Melhor Roteiro Adaptado do Ano: Joel Coen e Ethan Coen, “Bravura Indômita”
O Melhor Filme Nacional do Ano: “O Palhaço”
A Melhor Animação do Ano: “Enrolados”
O Melhor Elenco do Ano: “O Vencedor”
A Melhor Fotografia do Ano: Roger Deakins, “Bravura Indômita”
A Melhor Montagem do Ano: Andrew Weisblum, “Cisne Negro”
A Melhor Direção de Arte do Ano: Thérese DePrez e Tora Peterson, “Cisne Negro”
O Melhor Figurino do Ano: Amy Westcott, “Cisne Negro”
A Melhor Trilha Original do Ano: Alexandre Desplat, “O Discurso do Rei”
A Melhor Canção Original do Ano: “I See the Light”, “Enrolados”
A Melhor Maquiagem do Ano: “Cisne Negro”
Os Melhores Efeitos Visuais do Ano: “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte Dois”
O Melhor Som do Ano: “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte Dois”

A Melhor Cena do Ano

O final de “Além da Vida”, o filme mais subestimado de 2011.
———————————————

A partir de hoje, o Cinéfila por Natureza entra em um pequeno recesso. O blog volta no dia 02 de janeiro de 2012, com novas atualizações, para mais um ano cinematográfico! Feliz ano novo para todos nós! 🙂



Kamila Azevedo

Jornalista e Publicitária



Comentários


Lista muito boa. “Black Swan” na cabeça… 🙂

Beijos e desejo para você e sua família um 2012 de muita paz, saúde e muito cinematográfico.

Responder

Mayara, na cabeça! E merecido, né?? 🙂 Obrigada! Desejo o mesmo pra você e sua família! Beijos!

Responder

Q bom ver ALÉM DA VIDA em uma lista de melhores, gosto muito desse filme, aquela cena da degustação é sublime! Mas ENROLADOS na frente do PELE QUE HABITO não forçou, não?…hehehe… mais uma lista justa. Abs!

Responder

Celo, eu adoro “Além da Vida”, o filme mais subestimado de 2011, na minha opinião. E não acho forçado “Enrolados” na frente de “A Pele que Habito”. É meu gosto, mesmo! rsrsrsrs São dois excelentes filmes e entendo quem discorda de mim nesse sentido! rsrsrs Abraços!

Responder

Kamila, senti falta de Melancolia ou de Meia Noite em Paris – talvez no lugar de Reencontrando a Felicidade. Entre as canções – particulamente não achei de fato nenhuma excepcional.Abs!

Responder

Flávio, esses dois filmes que você citou bem que poderia ter entrado aqui na lista… Ficam como menções honrosas! 🙂 O ano foi fraco entre as canções, mas “I See the Light” é muito linda! Abraços!

Responder

Gostei da sua lista. Achei Enrrolador realmente uma grata surpresa. Outro filme q adorei foi o Pequeno Nicolau, sem dúvida uma bela comédia. Agora sou um daqueles que não curtiu mto além da vida. Tem boas cenas, é verdade, mas peca no lento desenvolvimento. Abs e parabéns pelo espaço.

http://www.cinemaniac2008.blogspot.com

Responder

Concordo completamente com o primeiro lugar. Black Swan também lidera a minha lista dos Melhores!

Só não sei se eu concordo com A Árvore da Vida. É sim um bom filme, mas acho que não entraria nos Melhores… Bem, o filme em si é bem particular mesmo!

Bom saber que pelo menos Aronofsky vem sendo reconhecido por muitos, já que ele não foi reconhecido pela Academia…

Kamila, parabéns pelo trabalho exercido aqui. E espero que 2012 seja um bom ano pra você e que seja melhor que 2011!

Abs.

Responder

Também concordo, “Black Swan” foi a melhor produção de 2010.

Responder

Thiago, obrigada! Eu adorei “Além da Vida” e, como disse, acho o filme mais subestimado do ano. Abraços!

Raspante, “Cisne Negro” tem sido quase unanimidade entre os blogueiros cinéfilos neste final de ano. E eu gosto muito de “A Árvore da Vida”, um filme muito bonito. Obrigada pelos comentários e pela presença de sempre. Que 2012 seja um excelente ano pra todos nós! Abraços!

Cleber, que bom que concordamos! 🙂

Responder

Feliz ano novo para vc tb Ka.
Acho que Cisne negro vai bater o recorde de primeiros lugares na lista dos dez mais do ano. É merecido. Bem, quanto a sua lista, temos muitas divergências e algumas similaridades. Não acho que o oitavo HP, Reencontrando a felicidade e A árvore da vida mereçam essas menções, por mais que sejam filmes dignos. Gostei de ver Além da vida incluído, embora não o ache um dos dez melhores filmes do ano. Mas vejo de maneira muito positiva a lembrança.
Enfim, a minha lista eu publico amanhã.

bjs e muito cinema em 2012!

Responder

Excelente lista Kamila! Cisne Negro também foi pra mim o grande filme, o que mais me surpreendeu e encantou! Feliz também de ver Enrolados, O Palhaço e O Pequeno Nicolau presentes =]

Feliz 2012, com muitos filmes e muitas alegrias!

Responder

Gostei muito da lista, Ká. Arrebentou. Temos meia dúzia de filmes em comum hehe, mas a minha fecho definitivamente na sexta, até lá, tem algumas pendências…

feliz ano novo, querida, e até a volta!

Bjs!

Responder

Reinaldo, obrigada! Também acho que “Cisne Negro” baterá o recorde de primeiros lugares entre os blogueiros cinéfilos e, como você disse, de forma merecida. Quero ler sua lista. 🙂 Beijos e muito cinema pra todos nós em 2012 e sempre!!!

Victor, obrigada!!! Feliz 2012 pra todos nós! 🙂

Elton, obrigada! Quero ler sua lista! 🙂 Feliz ano novo pra todos nós e até a volta! Beijos!

Responder

Ah, lista maravilhosa! Só não pude ver O Pequeno Nicolau e Lixo Extraordinário, mas tenho que concordar com o resto, são ótimos filmes. E não há ninguém mais merecido do que a primeira posição!
Abraços!

Responder

Senti falta do Meia Noite em Paris, do Wood Allen e de As minhas Tardes com Margueritte. Alguns dos que você publicou vi em 2010, ainda. Mas é uma boa seleção, sem dúvida.

Responder

Julio, não assisti “As Minhas Tardes com Margueritte”. E “Meia-Noite em Paris” entraria nessa lista como uma menção honrosa. Obrigada!

Responder

A Árvore da Vida e Cisne Negro são os únicos que deverão entrar na minha lista de melhores do ano – se bem que devo assistir A Pele que Habito hoje ou amanhã, pode ser que também entre. De resto, gosto de Lixo Extraordinário, 127 Horas e Rabitt Hole, são todos bons filmes, mas só. Além da Vida é mesmo ótimo, gostei de vê-lo chamado de “o filme mais subestimado de 2011”. Acho que é isso mesmo.

Responder

Ótimo fim de ano para todos nós, e meus parabéns pela lista – devo dizer que teremos coisas em comum, na minha que publico a partir de janeiro no blog. Black Swan não é à toa um dos filmes mais impressionantes do ano, foi maravilhoso vê-lo sendo premiado aqui. Faço pequenas ressalvas: a presença de Além da Vida e 127 Horas, dois filmes que pouco me agradam.
Beijos!

Responder

Wallace, é isso mesmo! 🙂

João, bom, você teve a chance de assistir a vários filmes que eu ainda nem tive a chance e nem sei se terei, por causa das datas de lançamentos em cada cinema. 🙂 Ansiosa para ler o seu top 10. Beijos e obrigada!

Weiner, para todos nós! 🙂 Muito obrigada! Ressalvas aceitas. Beijos!

Responder

Ótima lista, Kamila, Cisne Negro parece mesmo unanimidade entre os cinéfilos. Apesar de alguns não estarem na minha lista, são todos ótimos filmes.

Responder

Bem, dessa lista acho Lixo Extraordinário e 127 Horas muito ruins, já falei isso aqui, esse último talvez um dos piores do ano. Harry Potter e Enrolados eu gosto, mas não a esse ponto. E Árvore da Vida é meu primeiro, incontestável, seguido de perto de Cópia Fiel. Cisne Negro caiu um pouquinho no meu conceito, mas continua entre os 10. E acho que O Palhaço merecia um lugarzinho aí. hehe

Responder

Kamila, adorei ver Cisne Negro encabeçando a lista!! Virou um dos meu filmes favoritos, uma obra-prima!! E gostei tbm de ver Harry Potter e Reencontrando a Felicidade, filme que eu assite depois que li sua cítica aqui, e gostei muito!!!
No mais só discordo de duas pequenas coisas! Direção de Arte e trilha sonora daria o prêmio a Harry Potter! =D
Boa folga e feliz ano novo!!!

Responder

Amanda, obrigada!

Rafael, discordo de você em relação a 127 Horas. O Palhaço é minha menção honrosa do ano, conforme a própria lista de melhores do ano publicada aqui. 🙂

Eri, discordâncias aceitas. 🙂 Obrigada e Feliz Ano Novo para você também.

Responder

Lista excelente. Concordo que “Além da Vida” foi subestimado, assim como “Reencontrando a felicidade” (e eu amei os dois filmes). Não vi “O Pequeno Nicolau” nem “Árvore da vida”, mas estão na lista de espera.

Beijos Kamila e um ótimo 2012!

Responder

Gostei da lista. Confesso não ter assistido 3 dos 10 citados, mas pretendo assisti-los. “A árvore da vida” tenho que confessar que me decepcionou, esperava mais do roteiro em si, não é um filme ruim, mas achei sustentado pela atuação – ótima, como poucas vezes vi – da parte de Brad Pitt e do menino (que não sei o nome do ator) que faz o filho mais velho dele. Ambas as atuações bastantes profundas (Aliás, ‘cadê’ o Sean Penn no filme? paciência!). Alguns aí nem irei comentar que são muito bons mesmo! Cisne Negro já esta entre meus prediletos, (Harry Potter, sou definitivamente suspeita pra falar <3), mas "A pele que Habito" arrebatou meu coração da forma que Almodovar (e outros poucos e excelentes) tem o poder de fazer, digníssimo, gênial, arrebatador, de tirar o fôlego. Adoro drama a flor da pele que me deixa sem ar! Sai do cinema completamente extasiada no dia em que vi, e o filme não saiu da minha cabeça pelo resto do dia.
Enfim, parabéns pela lista (:

Responder

“Cisne Negro” é mesmo o filme do ano e qualquer reconhecimento é merecido. “A Árvore da Vida” não fica muito atrás e fico feliz que tenha lembrado dele no seu top 10. Ótimas surpresas em suas escolhas de melhores do ano, em especial Charlotte Gainsbourg por “Melancolia”.

Um ótimo final de ano para você, Kamila! 🙂

Responder

Oi Kamila. Muito legal a sua lista. Acabei de montar a minha também. Acho que tivemos um ano muito bom, ao contrário do que tanto falam por aí.
http://amoscabranca.com/2011/12/29/os-melhores-filmes-de-2011/

Responder

strong>Monalisa, eu confesso que não consigo me decepcionar com “A Árvore da Vida”, que acho um filme poético e lindo, porém, ao mesmo tempo, entendo aqueles que se decepcionaram com o filme. Obrigada pelos comentários e pelos elogios! Seja bem vinda! 🙂

Vinícius, concordo com seu comentário! Obrigada e desejo o mesmo a você! 🙂

Márcio, obrigada! Eu também acho que tivemos um bom ano cinematográfico, de obras bem variadas e de qualidade. Verei sua lista!

Responder

Bacana saber que escolhemos o mesmo filme como o melhor de 2011! Não poderia ser outro, né?

Só não gostei tanto de Além da Vida, o restante não tenho nem o que falar, ótimas escolhas!

Responder

Dos lançados em 2011 fico com Cisne Negro tbm. Mas dos produzidos e lançados fico com X-men 4 . Falta muitos pra eu ver ainda, como Melancolia, A Arvore da Vida, Tudo pelo Poder, Drive….por enquanto é isso.

Responder

Bruno, não poderia mesmo ser outro filme, eu concordo contigo nesse ponto. Obrigada!

Andinhu, também faltam vários filmes para eu assistir e, provavelmente, todos irão ficar pra 2012.

Responder

“Cisne Negro” realmente é imbativel.Esse filme leva o conceito da arte ao extremo,uma obra prima contemporanea.Dos 10 filmes só não vi “A Pele Que Habito”.Gosto muito de “A Arvore da Vida” e “Reencontrando a Felicidade”.”Enrolados” foi uma surpresa pra mim e gostei do paralelo de “127 Horas” com “Naufrago”(o roteiro de ambos os filmes são ótimos,como contar uma história de um sujeito que fica boa parte do filme com as mãos em uma pedra?pergunte a Danny Boyle).Gostei da menção a “Além da Vida” de Clint Eastwood.Eu fiquei surpreso com a vitória de Charlotte Gainsbourg e feliz com o reconhecimento de “Cisne Negro”(as 8 categorias que você premiou são merecidas,principalmente maquiagem).Feliz Ano Novo e 2012 será um ano maravilhoso para nós 😉 Beijos Kamila

Responder

Ótimas escolhas, Kamila! “Cisne Negro” é um filmaço!

Bjs! E Feliz 2012!

Responder

Paulo, veja logo “A Pele que Habita”. Tenho certeza de que você irá amar. Chalrote Gainsbourg, para mim, deu a melhor atuação feminina do ano. Eu tinha que falar nela de alguma forma aqui. Que Deus te ouça! 🙂 Beijos!

Otavio, obrigada! Beijos e feliz 2012 pra você e sua família. Um beijo especial no fofinho e pequenino Arthur. 🙂

Responder

Eu só assisti metade dos filmes que estão aí, mas mesmo assim eu adorei a sua lista! Cisne Negro, reina absoluto na minha lista tbm, e fico feliz que vc mencionou “Harry Potter” (ainda tenho uma certa divergência com a direção do Yates, mas no final acabei apreciando a obra); “Enrolados” (um conto tradicional e divertido em pleno século 21) e “A Árvore da Vida” (poético e lindo), que são filmes que gosto muito. Infelizmente, eu assisti poucos filmes em 2011, e tô terminado de conferir alguns antes de fechar a minha lista. Semana que vem eu passo por aqui e comento com mais calma.

Abraços!

E que venha 2012!

Responder

Já comecei a fazer a minha lista de melhores. Veja lá em meu blog.

Feliz 2012

Beijos

Responder

Clóvis, que bom que gostou! 🙂 Quando fechar a sua lista, avisa. 😉 Abraços!

Brenno, verei, sim, pode deixar! Feliz 2012! Beijos!

Responder

Kamila, concordamos em apenas três filmes =/

Responder

Pedro, eu sei disso, tanto que comentei sobre a presença de “Além da Vida” entre os seus melhores do ano. Gostei bastante disso! 🙂

Matheus, normal! Somos abertos às discordâncias! 🙂

Responder

Kamila e a categoria filme estrangeiro? meu favorito é o argentino”Um Conto Chinês”(não vi “A Pele Que Habito” ano passado” fica para esse ano,parece um filmaço!) Bjs.

Responder

Sem “Tudo Pelo Poder”, “Melancolia”, “Incêndios”, “Meia Noite em Paris”?

Que pena, mas a lista está boa de qualquer maneira. Só não gosto do “Cisne Negro” na primeira colocação.

Responder

Francisco, eu não assisti ainda “Tudo Pelo Poder”e “Incêndios”. Os outros dois poderiam ter entrado na lista, mas podem ficar como uma menção honrosa. Obrigada pela visita e pelo comentário!

Responder

Como prometido vim aqui divulgar a minha lista dos melhores do ano.

Os melhores filmes de 2010:

01. Cisne Negro
02. Bravura Indômita
03. Meia Noite em Paris
04. Inverno da Alma
05. 127 Horas
06. A Árvore da Vida
07. Melancolia
08. X-men: Primeira Classe
09. Deixe-me Entrar
10. Reencontrando a Felicidade

Melhor Filme: “Cisne Negro”

Melhor Diretor: Darren Aronofsky, ”Cisne Negro”

Melhor Ator: Colin Firth, ”O Discurso do Rei”

Melhor Atriz: Natalie Portman, ”Cisne Negro”

Melhor Ator Coadjuvante: Christian Bale, ”O Vencedor”

Melhor Atriz Coadjuvante: Jessica Chastain, ”A Árvore da Vida”

Melhor Ator/Atriz Mirim: Hailee Steinfeld, “Bravura Indômita”

Melhor Elenco: “O Vencedor”

Melhor Roteiro Original: Andres Heinz, Mark Heyman e John J. McLaughlin, ”Cisne Negro”

Melhor Roteiro Adaptado: Simon Beaufoym, Danny Boyle, ”127 Horas”

Melhor Animação: “Enrolados”

Melhor Fotografia: Roger Deakins, ”Bravura Indômita”

Melhor Montagem: Andrew Weisblum, ”Cisne Negro”

Melhor Direção de Arte: Stuart Craig, Stephenie McMillan, “Harry Potter e as Relíquias da Morte, parte 2”

Melhor Figurino: Jenny Beavan, ”O Discurso do Rei”

Melhor Trilha Sonora: Clint Mansell, ”Cisne Negro”

Melhor Canção: Life’s a Happy Song, “The Muppets”

Melhor Maquiagem: “Harry Potter e as Relíquias da Morte, parte 2”

Melhores Efeitos Especiais: “Harry Potter e as Relíquias da Morte, parte 2”

Melhor Edição de Som: “Harry Potter e as Relíquias da Morte, parte 2”

Melhor Mixagem de Som: “Bravura Indômita”

Melhor Cena do Ano: A perfeição de Nina em “Cisne Negro”.

O Filme mais subestimado do ano: “Além da Vida”

O Filme mais superestimado do ano: “Planeta dos Macacos: A Origem”

É isso. Falta ver ainda alguns filmes como “Tudo pelo poder” e “Compramos um Zoológico”, mas eles acabaram ficando para pra esse ano.

Abraços!

Responder

Deixe uma resposta