Comentando o Globo de Ouro 2012

O comediante inglês Ricky Gervais é um cara muito esperto. No papel de mestre de cerimônias do 69th Annual Golden Globe Awards, que aconteceu ontem à noite em Beverly Hills, ele surpreendeu por justamente fazer o contrário do que se esperava dele. Sim, Ricky fez aquelas piadas irônicas e insultantes no seu monólogo de abertura (Justin Bieber e Johnny Depp que o digam); mas, por boa parte da cerimônia, ele manteve um tom discreto e ainda mostrou senso de humor ao “permitir” que as celebridades também tirassem uma onda com a cara dele – sim, estou falando de você, Madonna! Afinal, Gervais bem sabia que não tinha nada a perder. “A Imprensa Estrangeira em Hollywood me alertou de que se eu insultasse qualquer um de vocês, ou qualquer um deles, ou ofendesse qualquer telespectador ou causasse qualquer controvérsia... eles definitivamente me convidarão novamente no próximo ano”, ele disse durante seu monólogo de abertura.

Gervais não disse nenhuma mentira, uma vez que o grande desafio da premiação outorgada pela Hollywood Foreign Press Association é recuperar o prestígio que teve, uma vez, como o maior precursor dos Academy Awards. Como bem comprova a lista de vencedores do show de ontem, eles estão bem encaminhados nesse sentido. Nas categorias de cinema, os ganhadores foram aqueles já esperados, tendo em vista o buzz da crítica especializada e a trajetória que temos acompanhado nesta temporada de premiações. O Golden Globes Awards 2012, na realidade, confirmou a polarização das disputas para as categorias principais do Oscar: Melhor Filme (“The Artist” x “The Descendants”), Melhor Diretor (Michel Hazanavicius x Martin Scorsese) e Melhor Atriz (Meryl Streep x Michelle Williams, com Viola Davis correndo por fora). Ao mesmo tempo, a premiação ratificou o status de favoritismo de George Clooney, Woody Allen (pelo roteiro de “Meia-Noite em Paris”), Octavia Spencer, “A Separation” e Christopher Plummer. A única vitória que, provavelmente, terá efeito nenhum em termos de Oscar foi o triunfo de Madonna em Melhor Canção Original, por “Masterpiece”, de seu filme “W.E.”. Dificilmente, esta canção deve ser indicada aos Academy Awards, uma vez que o favoritismo absoluto nessa categoria é das músicas escritas para “Os Muppets”.

Nas categorias televisivas, o Golden Globes Awards fez jus à sua tradição de receber muito bem aqueles atores e atrizes que estão começando um caminho na TV, bem como aqueles shows que são os estreantes da temporada. Laura Dern (por “Enlightened”), Kelsey Grammer (por “Boss”), “Homeland” (que ainda levaria o prêmio de Melhor Atriz para Claire Danes) e Jessica Lange (por “American Horror Story”) são exemplos disso. Ainda falando dessa parte da premiação, foi da categoria de Melhor Ator em Minissérie ou Filme Feito para a TV que veio a grande surpresa da noite: a vitória de Idris Elba, por sua atuação em “Luther”.

No balanço, o saldo que fica do 69th Annual Golden Globes Awards é que a premiação encontra o seu diferencial na grande mistura de personalidades que faz (com certeza, esse é um dos poucos shows de premiação, dos ditos “tradicionais”, em que celebridades que são totalmente nada a ver com esse evento, como Elle McPherson, Katharine McPhee, Heidi Klum, Adam Levine, Jessica Alba e Nicole Richie convivem harmoniosamente com astros do porte de Brad Pitt, Angelina Jolie, George Clooney e Meryl Streep), já que eles são ávidos por atenção e essa é uma das maneiras de obtê-la. Ainda falando das particularidades do Golden Globes Awards, com certeza, dos também ditos shows de premiação “tradicionais”, este deve ser o único que permite aquele tipo de piada horrorosa (mas, engraçada) que Seth Rogen fez com Kate Beckinsale, em plena rede aberta de televisão norte-americana. A atriz ficou tão desorientada, que só conseguia rir durante a apresentação da categoria que eles estavam responsáveis. Por esses momentos “inspirados”, digamos, viva o Globo de Ouro!

37 comments

  1. Pedro Paulo 16 janeiro, 2012 at 23:29 Responder

    Das categorias de cinema, só gostei das vitórias da Octavia, do Plummer, da Williams, de The Artist e The Descendants, de Meia Noite em Paris

    Sorry, people, mas não acho a performance da Meryl a melhor do ano. Interpretar biografia não significa Oscar automático. A da Viola é melhor.

    Das de TV, gostei de todas, menos Laura Dern (oi?), aliás, ela tem uma cara estranha, não sei se é o pescoço.

  2. Paulo Ricardo 16 janeiro, 2012 at 23:54 Responder

    Minha visão do Globo de Ouro em “pequeninas pitadas”:

    -Freida Pinto participou de “Meia Noite em Paris”? segundo Rubens Ewald filho:sim!

    -“Harvey Pune!” profetizou Meryl Streep.

    -Quando Nicole Kidman anunciou a vitória de Woody Allen na categoria roteiro,Alexander Payne bateu palmas.Respeito ao mestre.

    -o iraniano “Separação” ganhou o Globo de Ouro.E recebeu 5 estrelas da revista VEJA.Deve ser uma obra prima.

    -Onde o Woody Allen esteve? ele podia ter dado o convite pra mim.

    -Madona agradeceu Harvey Weinstein

    -“Harvey Pune!” disse Madona.

    -Michelle Williams agradeceu Harvey Weinstein

    -Segundo Rubens Ewald Filho o filme “Missão Madrinha de Casamento” é uma pornochanchada.De inicio não concordei.Depois pensei:”Pornochanchada é a mistura de pornografia com comedia”.Baseado nisso o comentário dele faz sentido.Vou consultar o dicionário Aurélio

    -Seth Rogen teve uma ereção do lado de Kate Beckinsale.Ele que disse…

    – Porque Michelle Williams não disse:”Harvey Pune!”

    -Que felicidade de ver Alexander Payne ganhando o Globo de Ouro de melhor filme.Eu amo o cinema desse cara.Já vi a “trilogia da crise humana” várias vezes.Não me canso de ver “Eleição”,”As Confissões de Schmidt” e “Sideways”.Por mim ele leva o Oscar.

    -Estou temendo pelo futuro de Michelle Williams.Afinal:”Harvey Pune!”

    -Dei um grito quando o nome de Martin Scorsese foi anunciado como melhor diretor.

    -Obrigado Morgan Freeman.Mas que a homenagem a você foi timida,há foi…

    -Que deselegante Ricky Gervais dizer que “Ninguem viu o filme de Jodie Foster”.Eu tenho um amigo que viu.

    -Quando Octavia Spencer ganhou o Globo de Ouro de atriz coadjuvante pensei “é a Mo´Nique desse ano!”.Entrei no facebook e perguntei para minha amiga Kamila:”o que achou da vitória de Spencer?” ela prontamente respondeu:”é a Mo´nique desse ano”.Cinéfilo conhece cinéfilo.

    -Eu acho que “O Artista” tem muitas chances de ganhar o Oscar de melhor filme pela campanha que Harvey Weinstein sempre faz.Esse cara conseguiu levar “Shakespeare Apaixonado” ao Oscar de Melhor Filme em cima de “O Resgate do Soldado Ryan” e “Além da Linha Vermelha”.E colocou “Chocolate” na categoria melhor filme(em um ano que tivemos “Quase Famosos”???).Estou cansado das estrategias de Harvey Weinstein.

    -Será que Harvey Weinstein vai me punir por dizer isso?

    • Pedro Paulo 17 janeiro, 2012 at 00:10 Responder

      “-Quando Octavia Spencer ganhou o Globo de Ouro de atriz coadjuvante pensei “é a Mo´Nique desse ano!”.Entrei no facebook e perguntei para minha amiga Kamila:”o que achou da vitória de Spencer?” ela prontamente respondeu:”é a Mo´nique desse ano”.Cinéfilo conhece cinéfilo.”

      Paulo, engraçado que quando vi o trailer, pensei: “esse papel tinha que ser da Mo’Nique, faria muito melhor e firmaria de vez em Hollywood…” O papel de Minny tinha que ser dela. Tô com medo de que ela caia no esquecimento (Gabourey tá fazendo filmes aí).

      • Kamila 17 janeiro, 2012 at 11:10 Responder

        João, dia MUITO feliz. 🙂

        Pedro, claro que interpretar papeis biográficos não é garantia de ganhar um Oscar. Mas, acompanhe as críticas que a Meryl vem recebendo. Elas são prova de que a performance dela não só é ótima, como merecedora de um Oscar. Se isso irá acontecer, só o tempo irá dizer. E a Viola nem na categoria principal deveria estar. Todos dizem que ela é coadjuvante em “The Help”…

        Paulo, adorei seus comentários. É bem assim mesmo. Em se tratando de Oscar, o Harvey Weinstein é o rei da estratégia. Além de ter bom faro para filmes, ele sabe fazer uma campanha como ninguém. A prova disso é que seus filmes e atores estão sempre na ponta pela briga ao Oscar. Eu gosto do REF, mas coloquei a tecla SAP no TNT, no domingo. Não dá para ficar agüentando aquela horrorosa tradução simultânea e os comentários do REF atropelando todo mundo. Mas, ele sempre sai com essas pérolas. rsrsrsrs

        Pedro, o foco da carreira da Mo’nique nunca foi o cinema. Ela tem uma presença muito forte e muito mais marcante na televisão, onde já teve até mesmo um programa no estilo da Ellen de Generes que era todo dela.

  3. Paulo Ricardo 17 janeiro, 2012 at 00:21 Responder

    Não sou fã de Ricky Gervais.Achei uma tremenda falta de educação ele dizer que:”Eddie Murphy poderia estar no elenco de “Histórias Cruzadas”.Sem graça.Ele pega pesado e em alguns momentos ofende as pessoas,imagina um cara desses fazer uma piada com um mito como Meryl Streep.Já disse isso diversas vezes e vou repetir:gostei de ver Scorsese,Payne e Allen sairem da cerimonia com um Globo de Ouro(no caso de Allen vai ser entrega a domicilio.Ele devia aproveitar e pedir uma pizza tbm hehehe).Eu vi alguns filmes dessa cerimonia:”Toda forma de Amor”(ótimo,Plummer brilhante!),”Histórias Cruzadas”,”Missão Madrinha de Casamento”,”Meia Noite em Paris”,não vi muitos,mas estou torcendo para Woody Allen ganhar o Oscar de melhor roteiro original por “Meia Noite em Paris”.Esse filme é lindo,todo cinéfilo que se preze tem uma identificação por esse filme.Concordo que o HFPA tem como objetivo recuperar o prestigio do Globo de Ouro,e Ricky Gervais ajuda e atrapalha nesse processo na mesma proporção:Atrapalha porque ofende astros e sempre esta na linha tenue de falar uma barbaridade e ajuda porque aumenta a audiencia do programa(ano passado pessoas que nem gosta de cinema gostaram da piada “no palco o pai de Ashton Kutcher” Bruce Willis!!).É sem graça? sim.Mas tem quem goste.Depois da brincadeira com Madona que ela era a última virgem eu acho que Gervais foi repreendido pelos produtores.Tambem ri da piada de Seth Rogen,mas me pareceu que Kate Beckinsale não ficou ofendida .Feliz de ver Meryl Streep ganhando o oitavo Globo de Ouro,mas não dá para apontar favoritos.O que foi aquela turca? concordo contigo: “famosinhos”(Jessica Alba,Adam Levine…)com celebridades(sem aspas,que fique claro) do porte de Brad Pitt,Angelina Jolie e Meryl Streep não combina.Você foi feliz nessa colocação.Na premiação de TV gostei do prêmio ao ex ator de “Friends” e a alegria da mãe de Laura Dern ao ver a filha premiada.

    Beijos Kamila 🙂

  4. Paulo Ricardo 17 janeiro, 2012 at 00:24 Responder

    Hehehe to falando Pedro Paulo:”Cinéfilo conhece cinéfilo”.Esta decretado:”Octavia Spencer é a Monique desse ano”.Abraço

    • Pedro Paulo 17 janeiro, 2012 at 13:33 Responder

      Foi engraçado, Paulo, a primeira vez que vi o trailer, vi a Mo’nique na Octavia Spencer (não fisicamente, mas o tipo de papel e a atuação!)

      Falei: “gente, por que não deram esse papel á Mo’Nique, iria fazer miséria…”

  5. Amanda Aouad 17 janeiro, 2012 at 00:30 Responder

    Foi uma noite interessante mesmo. Os resultados é difícil analisar, já que não vi a maioria dos filmes ainda, mas já da mesmo para sentir a força de cada possível candidato ao Oscar.

    • Kamila 17 janeiro, 2012 at 11:17 Responder

      Paulo, eu gosto do Ricky Gervais, mas acho que ele é muito previsível. É fácil fazer piada com Justin Bieber… É fácil mexer com Mel Gibson. Com um mito como a Meryl, ele não mexeria. Ele não tem essa coragem toda. Aposto que aquela coisa com Madonna foi altamente encenada. A própria Ana Maria Bahiana, no twitter, falou que a gente prestasse atenção que a Madonna ia responder ao Ricky. Esse é aquele tipo de situação que deve ter sido previamente combinada. Eu acho que a Kate Beckinsale ficou desconcertada e envergonhada com a piada do Seth Rogen… E o prêmio pro Matt Leblanc foi, provavelmente, porque não tinha outra melhor opção… Nem eu sabia direito em quem apostar nessa categoria… rsrsrsss Beijos!

      Amanda, faço minhas as suas palavras. Comento a premiação e o cenário que ela desenha, mas não dá para avaliar os méritos de quem vence, porque, na maioria dos casos, os filmes ainda nem estrearam por aqui.

      • Pedro Paulo 17 janeiro, 2012 at 13:31 Responder

        Êta menina sabida, essa Kamila! Me deixou mais tranquilo em relação à Mo’Nique…

        E sei que a Viola está na categoria errada, mas a atuação dela é mais marcante (aliás, é fundamental pro filme) que a da Meryl. Aliás, sempre revejo aquela cena dela e da Meryl em Dúvida, e tem uma hora que parece que a Meryl fica até sem fôlego de tão magistral que foi a interpretação dela ali (a parte que ela “grita”, repara que a Meryl fica uns segundos olhando meio perdida, meio sem ação…), duas grandes atrizes.

        Sobre o REF, não gosto muito dele porque ele não respeita Kate Hepburn como merece, me dá raiva. E você precisa de ver a bagunça que ele fez ao falar da Melissa McCarthy… sério, na parte de TV, ele não entende nada! Furo atrás do outro.

        Falando na Melissa, vou dar pulos se ela for indicada ao Oscar… ela é ótima!

  6. Alex 17 janeiro, 2012 at 02:09 Responder

    Realmente esse foi um dos melhores Golden Globes dos últimos anos, curto, divertido e justo em boa parte das categorias, especialmente as relacionadas a cinema.

    E só salientando sobre a canção vencedora, “Masterpiece” nem ao menos é elegível, não consta na lista gigantescas de canções nomeáveis.

  7. Eri Jr. 17 janeiro, 2012 at 02:30 Responder

    Não assisti a cerimônia, mas os prêmios foram na medida neh! Tirando Scorsese que pra mim foi “supresa”, o resto foi bem previsível!!

    E a canção de Madonna foi desqualificada para o Oscar! A Rainha vai ter que se contentar com o globo mesmo… rsrs

    • Kamila 17 janeiro, 2012 at 11:19 Responder

      Alex, obrigada pelo comentário em relação a “Masterpiece”. Não sabia desse detalhe. Concordo que esse foi um dos melhores GG dos últimos anos.

      Eri, os prêmios foram na medida mesmo. E não considero a vitória de Scorsese uma surpresa, tendo em vista as críticas positivas recebidas por “Hugo”. Obrigada também pelo comentário em relação a “Masterpiece”. Como eu disse ao Alex, não sabia desse detalhe.

      • Kamila 17 janeiro, 2012 at 21:53 Responder

        Pedro, como a atuação da Meryl não pode ser marcante num filme que ela protagoniza? O filme gira em torno da personagem dela…

        E eu espero, sinceramente, que Melissa McCarthy não seja indicada ao Oscar.. Existem pessoas bem melhores do que ela em “Missão Madrinha de Casamento”. Ela é totalmente superestimada nesse filme.

  8. Flávio Junio 17 janeiro, 2012 at 11:27 Responder

    Kamila confesso não gostar muito do George Clooney, porém Brad Pitt não merece vencer por seu papel em Moneyball. Quanta a Meryl gosto dela, mas minha torcida continua sendo por Viola Davis.

  9. cmpfama 17 janeiro, 2012 at 13:32 Responder

    Eu particularmente achei um Globo de Ouro curto demais, sem muita emoção. Gostei de ver a Octavia Spencer e o Christopher Plummer vencerem. Os dois arrasaram nas atuações (fiquei morrendo de medo do Albert Brooks vencer por “Drive”, onde não faz nada de mais). “Drive” é sem dúvidas o melhor filme original de 2011. É extremamente delicioso.

    Era esperada a vitória da Michelle Williams, bem como “O Artista” em suas categorias. Fiquei decepcionado com a vitória de Meryl, mas entendi perfeitamente o recado dela em dizer que é, de certa forma, uma “vergonha” vencer como Atriz – Drama em 2011 no meio de atrizes fortíssimas. A Tilda Swinton e a Glenn Close arrasam também, mas torço ainda pelo sentimentalismo de Viola Davis.

    Sobre “Os Descendentes”, duvido muito que vença o Oscar. Parece um filme SIMPLES demais, sem nada a acrescentar. A disputa está mesmo entre “O Artista”, talvez “Hugo” (muito selecionado, infantil às vezes) e quem sabe “Histórias Cruzadas”.
    Estava lendo uma reportagem no UOL falando que “Histórias Cruzadas” terá força no Oscar. É, para mim, o filme do ano.

    Detestei “Meia-Noite em Paris”. Muita gente, muito misturado. E o Scorsese levar Direção, que bobeira! Como esse Globo de Ouro ADORA um super-star. Uma pena.

    E vamos considerar também que é a Academia estrangeira. Era óbvia a vitória de O Artista, bem como da Meryl. Para o Oscar, definitivamente não há favoritos, e vou achar muito sem graça se cada filme levar um prêmio. Ex: Artista filme, Hugo diretor, Meia-Noite original, Descendentes adaptado, Meryl atriz, Brad ator, Octavia coad. e Plummer coad. Muito sem graça!

    • Pedro Paulo 17 janeiro, 2012 at 13:36 Responder

      cmpfama, “Os Descendentes” me lembram muito filmes sentimentalóides como Juno (até gosto) e Um Sonho Possível (fraco): são indicados a Oscar mas não tem gabarito pra vencer.

      Adoro Alex Payne, mas esse é um filme feito pra chorar. Seu melhor momento é Sideways, adoro a atuação da Virginia Madsen!

      P.S.: Alguém aqui está com saudades das bizarrices do David Lynch? Eu tô, ele sumiu…

      • Pedro Paulo 17 janeiro, 2012 at 13:37 Responder

        Ah! e também gosto mais do conjunto de prêmios a um só filme do que polarizar! Tipo Network em 1976, pena que lhe roubaram os principais…

      • cmpfama 17 janeiro, 2012 at 13:40 Responder

        Tanta coisa o Lynch já fez… Acho que ele está cansado, viu?

        Eu gosto do Alexander Payne. Vi aquele com o Jack Nicholson, e achei muito tocante. Detestei “Sideways”, uma bela bobeira.

        Muito ansioso para ver “Os Descendentes”. Falta apenas ele e “My Week with Marilyn” e “O Artista” para eu ver os grandes favoritos.

    • Kamila 17 janeiro, 2012 at 21:51 Responder

      Flávio, eu gosto de Clooney e Pitt. Gosto de Viola e Meryl e torço pela Meryl, você sabe.

      Herculano, eu dou graças a Deus pela tecla SAP da TV, porque não aguento os comentários do REF e aquela tradução simultânea horrorosa.

      cmpfama, sobre “Os Descendentes”: continuo achando que é o grande concorrente de “The Artist” ao prêmio de Melhor Filme. “Hugo” corre por fora.. E não acho que “Histórias Cruzadas” terá muita força no Oscar. É um filme que deve ser indicado em várias categorias, mas só tem chance de vencer nas de atuação. Para quem você daria o prêmio de Diretor, por curiosidade?? Eu acho que a corrida ao Oscar está quase ficando previsível… Como sempre..

  10. Reinaldo Matheus Glioche 17 janeiro, 2012 at 13:38 Responder

    Viva o Globo de ouro. Eu, particularmente, adoro! Eu gostei da performance do Rick Gervais. A crítica americana parece um pouco decepcionada porque as expectativas eram demasiadas. Era factível que ele abrandaria o tom de seu repertório de piadas. It´s Hollywood, baby (ou bebê, para quem preferir)!
    bjs

  11. cmpfama 17 janeiro, 2012 at 13:41 Responder

    Com certeza Pedro Paulo! Esse negócio de um aqui, outro ali, é sempre fria. Tira o sucesso de um grande filme. Espero que não se repita no Oscar essa seleção fria e de mal gosto do Globo de Ouro.

    • Pedro Paulo 17 janeiro, 2012 at 22:39 Responder

      Lembro de 2004, assisti ao vivo (e não era cinéfilo), mas lembro como se fosse hoje do REF falando com a Babi (na época do SBT) que não sabia qual foi o grande vencedor do Oscar,porque Menina de Ouro levou os principais, mas O Aviador levou cinco… lembro como se fosse hoje! Idem 2005, com Crash e Brokeback ountain!

      Aliás, fico invocado quando o melhor filme não leva (ou não é nem indicado) a melhor direção! Pra mim não dá pra dividir isso! A melhor direção do ano é automaticamente o melhor filme, e vice-versa! A direção é a peça fundamental pro filme ser bom…

    • Kamila 17 janeiro, 2012 at 21:55 Responder

      Reinaldo, eu gosto da premiação quando ela não tem bizarrices, caso desse ano. Não gostei do Ricky Gervais. Esperava que ele não cedesse às pressões e que fosse ele mesmo… Beijos!

  12. Paulo Ricardo 17 janeiro, 2012 at 16:01 Responder

    Pedro Paulo,também adoro a atuação de Virginia Madsen em “Sideways”,a cena que ela explica o motivo de gostar de vinho é soberba,bem dirigida e o roteiro de Payne é sublime,aliás Payne sabe dirigir atores como poucos.Coloca Reese Whiterspoon e Paul Giamatti no Globo de Ouro e Jack Nicholson,Kathy Bathes,Thomas Haden Church e Virginia Madsen no Oscar,ele é um diretor especial.Abs.

    • Pedro Paulo 17 janeiro, 2012 at 22:30 Responder

      No post “A Volta de Edward Norton”, alguém comentou que John Travolta tinha que agradecer todos os dias Tarantino por ter tirado ele do limbo… pois a Virginia Madsen tinha que todo dia bater na porta do Payne e levar café da manhã pra ele! Ele tirou ela do TOTAL esquecimento (só vinha fazendo pontas em filmes fracos…) para um grande filme, grande papel, grande atuação e à indicação ao Oscar (e tinhas chances boas de ganhar)! Ele sim fez uma grande ação!

      As atuações do quarteto são formidáveis… Sandra e Giamatti também deveriam sem indicados – e adoro About Schimidt, foi a melhor atuação da carreira do Nicholson, merecia aquele Oscar sem dúvida!

      Mais um ótimo diretor de atores, com certeza.

  13. Weiner 17 janeiro, 2012 at 16:37 Responder

    Foi uma cerimônia mais divertida que a do ano passado, disso não tive dúvida. Em relação aos vencedores, gostei da maioria, só não tanto do Clooney como ator, Scorsese como diretor e Spencer como coadjuvante. Adorei Streep vencer, nem preciso falar, acho. Gostei muito mesmo. 🙂
    E este GG me deixou a certeza de que tenho de ver mais TV americana, muitos dos premiados me pareceu interessante – e pasme! – nem conhecia a maioria.
    Beijos!

    • Kamila 17 janeiro, 2012 at 21:56 Responder

      Weiner, a do ano passado foi constrangedora. Essa foi divertida mesmo. Eu gostei dos vencedores, pra ser bem sincera. O bom dessas premiações, especialmente as que premiam as séries de TV, minisséries, é que a gente entra em contato com o que é novo. 🙂

  14. Pedro Paulo 17 janeiro, 2012 at 22:20 Responder

    Kamila, em The Iron Lady, a Meryl tem o padrão de qualidade dela de sempre, excelente, mas não marcante na carreira dela, nada de surpreendente.

    A da Viola sim, ela rouba todas as cenas (como ela fez e Doubt, deixou a Meryl sem ação) e tem uma performance mais forte (sem trocadilhos ao filme da Meryl), teve mais presença.

    Você não me respondeu a questão da Winslet em 2008…

  15. Mayara Bastos 18 janeiro, 2012 at 00:29 Responder

    Meryl estava impagável no discurso, assim como George Clooney e seu agradecimento ‘picante’ ao Michael Fassbender, rsrsrs. Eles, assim como o cãozinho do “The Artist” e o discurso da Sofia Vergara foram meus momentos favoritos dos Golden Globes.

    Gostei da distribuição de prêmios, mesmo achando que não vai mudar muita coisa na preferência do Oscar, assim como os indicados ao BAFTA divulgados hoje.

    Beijos! 😉

    • Kamila 18 janeiro, 2012 at 00:33 Responder

      Pedro, ms a Viola é COADJUVANTE!!! Não é principal. Vencer numa categoria que não é a dela, é completamente injusto… Qual sua pergunta da Kate Winslet??

      Mayara, concordo com seu comentário! Beijos!

      • Pedro Paulo 18 janeiro, 2012 at 13:02 Responder

        É coadjuvante, mas esquecendo as hierarquias e comparando as atuações, achei a da Viola mais intensa.

        PERGUNTA:
        “Aliás, Ka, porque a Academia resolveu colocar a performance de “The Reader” em lead, sendo que nas demais foi supporting? Para facilitar pra Penélope? O filme foi mais aclamado que “Revolutionary Road”?

        Do post das apostas para o Golden Globe.

Deixe uma resposta