Velozes e Furiosos 6

A trama de “Velozes e Furiosos 6”, filme dirigido por Justin Lin e escrito por Chris Morgan, está diretamente ligada à de “Velozes & Furiosos 5”, também dirigido por Justin Lin e escrito por Chris Morgan. Na trama do filme anterior, além de estarem envolvidos com situações de justiça, o grupo liderado por Dominic Toretto (Vin Diesel) tinha uma missão maior em mãos: tentar roubar os milhões que um líder do crime organizado (Joaquim de Almeida) mantinha guardado trancado a sete chaves num cofre. Caso fossem bem-sucedidos, eles teriam a chance perfeita para se aposentarem do mundo do crime.

Quando reencontramos os personagens, no primeiro ato da sexta parte da franquia cinematográfica, vemos Dominic, a namorada Elena (Elsa Pataky), a irmã Mia (Jordana Brewster), o cunhado Brian (Paul Walker) e o sobrinho recém-nascido vivendo numa linda e pacata ilha européia, com todo luxo e conforto que eles têm direito, porém com a inata condição de serem considerados, eternamente, foragidos da justiça, sem qualquer possibilidade de voltarem para casa. O bando deles - que é completado pelas personagens interpretadas por Tyrese Gibson, Sung Kang, Gal Cadot e Chris “Ludacris” Bridges - é reunido novamente a pedido do policial Hobbs (Dwayne Johnson), que era um dos algozes do grupo no filme anterior.

Um dos pontos mais positivos de “Velozes e Furiosos 6”, aliás, é ter encontrado uma função bem definida para a personagem interpretada por Dwayne Johnson. Além de ele ser responsável pela reunião do grupo de Dominic Toretto, ele é o ponto motriz por trás da storyline principal do filme: a perseguição por um novo bando, que representa a evolução daquilo que Toretto e seus amigos um dia foram (uma vez que eles atuam globalmente, ao invés de localmente, como era o caso da gangue de Dom), e que é liderado por um ex-militar chamado Shaw (Luke Evans), que, para complicar ainda mais a situação (ou facilitar a reunião do grupo de Toretto), tem muito a ver com o paradeiro de Letty (Michelle Rodriguez), a ex-namorada de Dominic, que todos julgavam estar morta.

O diretor Justin Lin é muito familiarizado com o universo narrativo da série “Velozes e Furiosos”, por isso mesmo ele sabe oferecer aos espectadores dessa franquia justamente aquilo que eles desejam ver: cenas de ação de tirar o fôlego. Neste sentido, “Velozes e Furiosos 6” oferece as melhores - e mais mentirosas, diga-se de passagem - sequências de perseguição de carros dos seis filmes que compõem essa franquia. Além disso, o roteirista Chris Morgan soube muito bem trabalhar, em seu roteiro, com alguns conceitos que são clichês bem batidos do gênero de ação e que estão bem presentes aqui nessa sexta parte de “Velozes e Furiosos”, uma vez que tudo nesse filme é bem caricatural e previsível. Vamos ver o que eles aprontam da próxima vez, já que essa série cinematográfica parece longe de chegar a um fim.

4 comments

  1. Pablo 30 maio, 2013 at 14:14 Responder

    Kamila, assisti o filme ontem e acho q ele cumpriu muito bem e sua intenção, que é divertir e entreter os fãs da serie.
    Fizeram meio que um apanhado do q aconteceu nos cinco primeiros filmes e algumas homenagens principalmente ao primeiro.
    Concordo que dessa vez eles exageram e muito nas cenas de perseguição, mas eu acho q é por causa disso que o filme continuando fazendo sucesso mesmo depois de outro 5 já terem sido lançados.
    Agora no 7 com Jason Statham como vilão, o filme ainda nem foi filmado, mas já promete.

  2. bruno knott 30 maio, 2013 at 14:20 Responder

    Eu só vi o primeiro filme… e confesso que me diverti razoavelmente. Se este filme apresenta as melhores perseguições de carro da franquia acho que já vale a conferida, pq nisso eles se destacam!
    Um dia vou conferir…

  3. Hugo 30 maio, 2013 at 23:19 Responder

    O curioso é que a série parecia ter acabado com o terceiro filme, que tinha um trama completamente diferente dos dois primeiros, mas conseguiram fazer a franquia renascer com sucesso.

    Abraço

    • Kamila Azevedo 31 maio, 2013 at 13:33 Responder

      Pablo, pois é. Também achei o filme divertido e acho que ele cumpriu a sua função. Entregou aos fãs aquilo que eles desejavam assistir. O Jason Statham como vilão do próximo filme também me deixou um tanto curiosa. Vamos ver o que irão aprontar na parte 7, que já está em desenvolvimento, inclusive.

      Bruno, acho que o único filme dessa franquia que eu não vi foi aquele que se passava em Tóquio. Acho uma série cinematográfica divertida e que sempre traz essas cenas sensacionais de perseguição de carros.

      Hugo, exatamente! Ótimo comentário! E acho que esse sucesso tem muito a ver com a volta do Vin Diesel à franquia.

Deixe uma resposta