Capitão Phillips

publicado em:20/11/13 12:22 AM por: Kamila Azevedo Cinema

Uma pesquisa rápida na Internet nos mostra que a questão da pirataria na Somália é algo muito sério e que tem chamado a atenção, especialmente desde o início da guerra civil no país, ainda na década de 90. Isso faz com que a atividade desenvolvida por navios da marinha mercante, naquela área, seja envolta de muita preocupação. O filme “Capitão Phillips”, dirigido por Paul Greengrass, fala justamente sobre uma situação – real – que ocorreu, em abril de 2009, nos mares da Somália.

Baseado no livro escrito por Richard Phillips e por Stephen Talty, “Capitão Phillips” segue os acontecimentos que ocorreram a bordo do MV Maersk Alabama, navio comandado por Phillips (Tom Hanks), quando a embarcação foi sequestrada por piratas somalianos. O roteiro escrito por Billy Ray acompanha os cinco dias em que Phillips esteve sob a mira principal dos piratas, enquanto esperava por uma operação de resgate que seria capitaneada por Fuzileiros Navais da Marinha dos Estados Unidos, especialmente deslocados até o local do evento.

O diretor inglês Paul Greengrass, como bem comprova a sua filmografia (principalmente o trabalho desenvolvido no filme “Vôo United 93”), é um profissional especializado naquilo que iremos chamar de captura da ação de uma forma altamente documental. A maneira como ele opta por registrar as suas imagens favorece justamente o relato quase “real” daquilo que estamos acompanhando. Em consequência disso, na condição de espectadores, ficamos totalmente imersos na história, principalmente, no clima tenso construído pela câmera de Paul Greengrass num notável trabalho de edição por parte de seu habitual parceiro Christopher Rouse.

Além desse elemento, “Capitão Phillips” conta com um trunfo também muito interessante: os atores escalados para os papeis dos piratas somalianos são todos estreantes e estão muito bem caracterizados (preste atenção especialmente em Barkhad Abdi, perfeito como o líder do bando), o que nos faz acreditar na ameaça que eles representam, não só para o navio comandado pelo experiente Phillips e sua bem treinada tripulação, como também para o “final feliz” que esperamos de um típico filme hollywoodiano. Esse elenco de apoio oferece a plataforma necessária para que a sensacional atuação de Tom Hanks se sobressaia. Ele é um dos poucos atores em Hollywood a transferir para as personagens que interpreta uma credibilidade tremenda e que nos faz acreditar naquilo que ele está passando. O que Tom Hanks faz nos minutos finais de “Capitão Phillips”, em que encontramos sua personagem num completo estado de choque depois de mostrar tanta segurança e confiança apesar de tudo o que passou, é a prova do por quê ele estar sendo considerado como um dos favoritos ao Oscar 2014 de Melhor Ator.


Post Tags

Kamila Azevedo

Jornalista e Publicitária



Comentários


Um filme instigante mesmo, principalmente por não focar apenas no ponto de vista dos americanos, destacando também a situação dos somalianos. E realmente, a interpretação de Tom Hanks na parte final lhe vale aplausos e prêmios.

Responder

Deixe uma resposta