A Vida Secreta de Walter Mitty

A chave para entender a personalidade de Walter Mitty (Ben Stiller), o protagonista do filme “A Vida Secreta de Walter Mitty”, está em uma cena na qual ele conversa com sua colega de trabalho Cheryl Melhoff (Kristin Wiig, excelente). Conforme vamos assistindo no decorrer do longa, Walter é dado a acessos de “fuga do mundo”, em que ele embarca num mundo de fantasia em que ele consegue ser tudo aquilo que ele não é na vida real (heroi, valente e corajoso). A explicação para isso pode ser encontrada justamente nessa conversa, em que Walter divide com Cheryl todas as mudanças que ocorreram com ele após a morte do seu pai.

A verdade é que a morte do pai de Walter foi o acontecimento que, provavelmente, definiu a existência dele e isso pode ser visto na forma como ele, aparentemente, se transformou no esteio de sua família, assumindo os cuidados da mãe (Shirley MacLaine) e da irmã aspirante a atriz (Kathryn Hahn). A impressão que temos - e que se confirma com a conversa entre Walter e Cheryl - é que ele suprimiu todas as suas vontades e sonhos por ter tido que começar a trabalhar cedo, por ter sido obrigado pelas circunstâncias da vida a amadurecer mais cedo e por ter que encarar a dureza da vida desde jovem.

Por isso que Walter Mitty tem esses lapsos de realidade. Falta a ele a coragem de cair no desconhecido e de sair da zona de conforto a que ele mesmo se impôs. De uma certa maneira, a jornada que a personagem viverá em “A Vida Secreta de Walter Mitty” é justamente essa, quando o momento em que ele se vê com o mundo que ele conhece (notadamente, o emprego na revista Life) ameaçando entrar em colapso e a timidez em abordar a mulher que ele ama (Cheryl) sendo um obstáculo para a conquista da sua felicidade obrigando-o a encarar a vida de frente e a embarcar - de verdade - em uma série de aventuras que, provavelmente, serão muito mais extraordinárias do que as que ele costumava sonhar acordado.

Baseado em um clássico conto escrito por James Thurber, “A Vida Secreta de Walter Mitty” é o melhor filme dirigido por Ben Stiller, com uma de suas melhores atuações também, diga-se de passagem. Stiller foi muito feliz no aspecto técnico de seu longa, que possui lindos trabalhos de direção de fotografia (cortesia de Stuart Dryburgh) e da trilha sonora composta por Theodore Shapiro. Dá para perceber que a intenção de Ben Stiller com esse filme foi tentar repetir um pouco do caráter especial que “As Aventuras de Pi” teve, porém ele não conseguiu ser bem-sucedido nisso, pois, em “A Vida Secreta de Walter Mitty”, a mistura de comédia e fantasia prejudica muito o filme, que encontra dificuldades em achar o tom certo para a história.

2 comments

Deixe uma resposta