Frozen: Uma Aventura Congelante

Baseado no conto de fadas “A Rainha da Neve”, escrito pelo dinamarquês Hans Christian Andersen, a animação “Frozen: Uma Aventura Congelante”, dirigida por Chris Buck e Jennifer Lee, tem como personagem principal uma princesa bem diferente, uma anti-heroína chamada Elsa (dublada por Idina Menzel na versão original), que nasceu com um estranho poder: o de transformar em gelo tudo aquilo que ela toca, incluindo as pessoas.

Por causa desse poder e do fato de que nem ela mesma (nem as suas pessoas mais próximas) sabiam como ajudá-la a lidar com o lado especial que ela tinha, Elsa foi condenada pelos pais, os reis de Arendelle, a uma vida de solidão, confinada dentro do seu quarto em um enorme castelo. O lado curioso no roteiro escrito por Jennifer Lee é que ele destaca o fato de que não somente Elsa vive prisioneira de seu poder. Em decorrência disso, ela também acabou transformando a vida de seus pais e de sua irmã mais nova Anna (dublada por Kristen Bell na versão original), que passaram a viver isolados dentro do castelo, sem qualquer contato com o mundo exterior.

O grande ponto de virada da trama de “Frozen: Uma Aventura Congelante” ocorre quando Elsa atinge a maioridade, de forma a poder assumir o trono de Arendelle. Obrigada a enfrentar pela primeira vez as pessoas, o conflito interno de Elsa é tentar dominar o seu poder, que passa pelo controle de suas emoções, de forma a não assustar os seus súditos. Como um segredo desses é difícil de ser escondido por muito tempo, logo o reino de Arendelle foi colocado sob um inverno que parece ser eterno.

A essência de “Frozen: Uma Aventura Congelante” é o relacionamento que une Elsa e Anna. Quando crianças, as duas eram grandes amigas e companheiras de brincadeiras. Isso tudo teve que ser deixado para trás a partir do instante em que Elsa, Anna e família passaram a viver condenados dentro de seu castelo e se transformaram em duas estranhas uma para a outra. A grande jornada desse filme, portanto, é o reencontro entre as duas irmãs, num momento em que Elsa se sente, finalmente, livre para ser quem ela realmente é (naquela que é a melhor cena do longa); e num instante em que Anna começa a amadurecer por si própria, descobrindo os seus sentimentos mais íntimos.

“Frozen: Uma Aventura Congelante” é uma animação que remete aos filmes mais clássicos da Disney. O roteiro, ao mesmo tempo que coloca em tela os clichês mais típicos do gênero de animação, nos oferece reviravoltas que são surpreendentes. As metáforas utilizadas por Jennifer Lee são muito inteligentes. O contraste entre a frieza de Elsa (que não combina com a sua verdadeira personalidade, uma vez que ela tem a bondade e a compaixão dentro de si) e a alegria e a inocência de Anna está aqui para nos mostrar todo o poder que o amor tem de derrubar até as barreiras mais potentes. É uma linda mensagem passada por um filme que vem para tirar o gênero de animação do marasmo dos últimos dois anos.

Indicações ao Oscar 2014
Melhor Filme de Animação
Melhor Canção Original - 
"Let it Go", Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez

11 comments

  1. Tania 25 Janeiro, 2014 at 22:00 Responder

    Gostei muito do filme, uma das melhores animações dos últimos anos. Ainda não superou a melhor , que foi Valente .
    Gostaria de saber sua opinião sobre Tarzan, a Evolução da Lenda .
    Abç

  2. Clóvis Tayllon 27 Janeiro, 2014 at 01:18 Responder

    Estou entre aqueles que já se tornaram fãs de carteirinha do filme. Mesmo que ainda não seja o meu filme favorito da Disney, “A Bela e a Fera” e “Branca de Neve e os Sete Anões” levam esse título), “Frozen” é a melhor animação dos últimos anos, e umas das melhores da história do estúdio. O modo como ele brinca com os maiores clichês do gênero é um dos pontos fortes do filme (adorei como vários personagens ficaram ressaltando à Anna o como é estúpido você se casar com um a pessoa que acabou de conhecer). O relacionamento da Elsa e Anna é bastante tocante, quando esta canta “Do You Want to Build a Snowman?” fiquei bastante comovido. As músicas são lindas (“Let it Go” é particularmente memorável) e o visual do filme é arrebatador. Tal como a Amanda, eu também reparei em algumas cenas na segunda vez que assisti ao longa, como na cena em que Hans “salva” Elsa no castelo de gelo. Só é uma pena que por causa da insistência da Disney de só distribuir cópias dubladas, eu recorri ao filme via torrent. Depois daquela dublagem horrorosa de “Enrolados”, peguei trauma de animações dubladas. Uma pena, porque o trabalho dos atores no original é sensacional.

    Nota: 9,5

    Abraços!

    • Kamila Azevedo 28 Janeiro, 2014 at 01:06 Responder

      Reinaldo, obrigada! Tente assistir ao filme.

      Amanda, exatamente. Também me encantei muito com esses aspectos do filme.

      Clóvis, também me tornei fã de carteirinha de “Frozen”. É meu favorito da Disney, lado a lado com “A Bela e a Fera” e “Encantada”. Concordo que o filme é a melhor animação dos últimos anos e uma das melhores da história da Disney. Concordo com muitos aspectos de seu comentário e espero poder assistir ao filme em sua versão original, pois a assisti dublada.

Deixe uma resposta