Não Pare na Pista: A Melhor História de Paulo Coelho

O título de “Não Pare na Pista: A Melhor História de Paulo Coelho”, filme dirigido por Daniel Augusto, faz referência a uma canção de autoria de Paulo Coelho e Raul Seixas, que fala sobre um homem considerado um louco pirado que nunca para, que não se acostuma e que tem o desejo de seguir em frente em busca de aventuras diferentes sem qualquer tipo de medo ou receio que o prenda de realizar aquilo que ele deseja.

Após assistirmos aos 112 minutos desse filme, que enfoca a juventude, a idade adulta e a maturidade que só uma vida tranquila nos traz do escritor Paulo Coelho (interpretado por Ravel Andrade e Júlio Andrade); temos a sensação de que a canção é muito fiel ao Paulo que encontramos, nos anos 60 e 70, quando ele, ao enveredar no caminho do teatro e no do movimento hippie, e conheceu Raul Seixas (Lucci Ferreira), teve a certeza de sua vocação.

“Não Pare na Pista: A Melhor História de Paulo Coelho” é uma cinebiografia que segue a linha de “Piaf: Um Hino ao Amor”, na medida em que mostra, por meio de uma linha temporal em que o passado, o presente e o futuro ocorrem de forma contínua e, ao mesmo tempo, misturada e vibrante na forma como é captada pelo diretor Daniel Augusto; os momentos mais marcantes da vida daquele que, atualmente, é o autor vivo com obras mais traduzidas em diversas línguas, desde William Shakespeare.

O roteiro escrito por Carolina Kotscho mostra um Paulo Coelho sensível e diferente, que sofreu os traumas de uma educação severa, com pais (Enrique Diaz e Fabiula Nascimento) que lhe internaram várias vezes em clínicas psiquiátricas por não saberem lidar com o seu filho; que teve uma relação bastante experimental e aberta com temas considerados tabus como sexualidade, religião e drogas e que perpassou por vários campos artísticos até viver a experiência que iria modificá-lo por completo e que iria definir a sua vida como o escritor de sucesso que ele hoje é: a travessia do Caminho de Santiago de Compostela, que inspirou o livro “O Diário de um Mago”, na década de 80.

Filme que marca a estreia de Daniel Augusto como diretor de um longa-metragem de ficção (mesmo que baseado em fatos reais), “Não Pare na Pista: A Melhor História de Paulo Coelho” confirma o nome de Júlio Andrade como um dos melhores atores brasileiros da atualidade e um quase especialista em personagens reais. Incrível o poder dele de transformação, de entrar na pele daqueles a quem ele interpreta. Por meio dele, vemos uma figura enigmática e conhecida como Paulo Coelho como alguém que sempre trilhou um caminho de sensibilidade diante das questões principais que nos movem no mundo em que vivemos. Foi a sua disposição em traduzir aquilo que é diferente que o transformou no homem bem-sucedido que ele é hoje. Paulo Coelho é a prova viva de que “quando você quer alguma coisa, todo o Universo conspira para que você realize seu desejo” - frase retirada de “O Alquimista”, o livro brasileiro mais vendido de todos os tempos e um verdadeiro fenômeno literário, obra máxima de Coelho.

4 comments

  1. Amanda Aouad 8 setembro, 2014 at 03:25 Responder

    Júlio Andrade está muito bem mesmo, e tem demonstrado ser um ótimo ator. Agora, o filme tem seus altos e baixos, acho que poderia ser mais intenso e instigante até pela história do escritor.

    • Kamila Azevedo 25 setembro, 2014 at 00:27 Responder

      André, tentei ser o mais sucinta possível, mas acho que fica complicado não falar muito. Reli o texto agora, após seu comentário, e não acho que disse tanto assim – pelo menos, nada que não seja conhecido sobre Paulo Coelho. De toda maneira, obrigada pela visita e pelo comentário!

Deixe uma resposta