Risco Imediato

Nota3.4
3.4

Se o casal Tom (James Franco) e Anna Reed (Kate Hudson), personagens principais de “Risco Imediato”, filme dirigido por Henrik Ruben Genz, tivessem uma música-tema, com certeza, ela seria o samba “Pecado Capital”, de Paulinho da Viola. Explico: como ficaremos sabendo no decorrer do longa, os dois se mudaram para Londres para tomar posse de uma casa recebida como herança por Tom. Entretanto, a vida dos dois na capital inglesa acaba não significando o recomeço que eles queriam. Afundados em dívidas, a luz no fim do túnel aparece quando eles encontram uma grande quantia de dinheiro no sótão que eles alugavam para um homem misterioso – e que aparece morto também em circunstâncias sinistras.

Desde cedo, uma coisa eu aprendi na vida: não existe dinheiro fácil. E, com certeza, o dinheiro que Tom e Anna descobrem não será a solução para todos os problemas que eles possuem. Descobrir aquilo no sótão deles significa para eles somente a aquisição de mais problemas, na medida em que eles passam a ser alvo, não só da polícia que investiga o crime (aqui representada pela personagem interpretada por Tom Wilkinson), bem como de criminosos que atuam com altos requintes de crueldade.

Como se pode perceber, “Risco Imediato” é um filme que possui uma trama muito clichê, com um desfecho ainda mais previsível. Além disso, James Franco e Kate Hudson, por mais que convençam como casal, não estão em seu melhor momento aqui. O resultado é um filme que apresenta somente uma única verdade pra todos nós: que dinheiro na mão de um sonhador como Tom é realmente um grande vendaval e que o desejo de grandeza e a ambição cobram um preço alto, cuja queda pode ser ainda maior quando se acorda do que, um dia, viveu.

4 comments

  1. Paulo Ricardo 5 junho, 2015 at 22:27 Responder

    O James Franco está expondo muito sua carreira.Muitos filmes em um curto espaço de tempo,5 filmes em 2010,6 em 2011,7 em 2012,9 em 2013 ,6 em 2014 e 10 filmes para serem lançamentos esse ano.Muita exposição gratuita.Eu dispenso “Risco Imediato”.

    • Kamila Azevedo 7 junho, 2015 at 10:17 Responder

      Paulo, não acho que seja muita exposição gratuita. Acho que ele precisa é selecionar melhor os projetos que faz.

      Amanda, não perdeu muita coisa, mesmo!

      Reinaldo, não foi fácil mesmo escrever sobre esse filme, mas acho que escrever sobre filmes assim é um ótimo exercício! rsrsrsrs

Deixe uma resposta