O Círculo

Nota5
5
Reader Rating: (0 Rates)0

Fazendo um paralelo com o nosso mundo real, a maior empresa de tecnologia do mundo que dá nome ao filme O Círculo, dirigido e co-escrito por James Ponsoldt, é como se fosse uma espécie de rede social, na qual os usuários se unem em grupos de interesse comum e compartilham as suas experiências com os demais integrantes de sua rede. A máxima para entender O Círculo é muito fácil: quanto mais você compartilhar, quanto mais você interagir, quanto mais você estiver envolvido no que a rede social engloba, mais você terá visibilidade, mais você será um usuário de influência, mais você será alguém dentro dessa rede.

Para jovens como Mae (Emma Watson), uma empresa como O Círculo é fascinante e, ao mesmo tempo, um sonho de consumo por parecer ser um daqueles locais em que é maravilhoso trabalhar. Por isso mesmo, ela agarra com unhas e dentes a oportunidade que a amiga Annie (Karen Gillan) arruma para ela e, ao conseguir o tão sonhado emprego, Mae vê sua vida mudar completamente, na medida em que ela ascende rapidamente de atendente de suporte do Círculo e passa a ser a cara do SeeChange, uma pequena câmera que permite aos usuários compartilharem detalhes de suas vidas com o mundo.

Pela sua temática central, já dá para perceber que O Círculo é bastante atual e o roteiro escrito por James Ponsoldt e Dave Eggers (tendo como base o livro escrito pelo próprio Eggers) faz reflexões bem interessantes a respeito desse mundo virtual em que estamos inseridos. Será que existem limites no tipo de conteúdo que podemos compartilhar numa rede social? Será que seria interessante a possibilidade de termos a nossa vida totalmente capturada, perdendo o mínimo de privacidade que possuímos? E quanto àqueles que preferem se manter longe da exposição? Sua vontade deve ser respeitada? Existe espaço para a “invisibilidade” num mundo de alta exposição? Será que chegaremos, um dia, a termos nossa vida inteira controlada pela rede?

Mesmo tendo uma boa premissa e levantando questões muito inerentes à nossa realidade, O Círculo peca pela sua mediana execução. Apesar de ter bons nomes na frente e atrás das câmeras, a verdade é que o filme nunca chega a decolar na discussão em que levanta – muito em parte por causa do roteiro, que tem alguns furos. Está claro que a grande influência por trás de O Círculo foi o filme A Rede Social, só que um detalhe significativo separa os dois filmes: James Ponsoldt e Dave Eggers não são David Fincher e Aaron Sorkin.

O Círculo (The Circle, 2017)
Direção: James Ponsoldt
Roteiro: James Ponsoldt e Dave Eggers (com base no livro escrito por Eggers)
Elenco: Tom Hanks, Emma Watson, Ellar Coltrane, Glenne Headey, Bill Paxton, Karen Gillan, Nate Corddry, John Boyega

Deixe uma resposta