logo

A Clínica: A Farsa e os Crimes de Roger Abdelmassih | Lendo

publicado em:4/01/18 12:03 PM por: Kamila Azevedo Livros

“A relação entre a promotoria pública e o jornalismo, desde que se baseie em independência e honestidade, costuma funcionar muito bem, como uma parceria. O importante é não publicar informações que podem destruir a vida de uma pessoa ou de uma família”.

Este trecho do livro A Clínica: A Farsa e os Crimes de Roger Abdelmassih, escrito por Vicente Vilardaga, fala sobre o momento em que o Ministério Público, após receber uma denúncia da produção do programa Fantástico, da Rede Globo, decide abrir uma investigação contra o médico Roger Abdelmassih, que naquela época, era o maior nome da reprodução humana no Brasil, e proprietário de uma clínica milionária, especializada em fertilizações in vitro e outros métodos reprodutivos.

A preocupação da promotoria, que iria investigar o médico por crimes sexuais cometidos nas salas de sua clínica, se justificava pelo receio de se repetir um caso como o da Escola Base, em que houve uma condenação prévia – e errônea – dos investigados, que viram suas reputações caírem em desgraça perante a opinião pública. Por se tratar de uma figura bastante conhecida na classe média alta brasileira, que tinha uma rede de influência bastante notável ao redor de si, tendo como clientes personalidades que iam desde Pelé, passando por Tom Cavalcante, entre outros, a preocupação com Abdelmassih era justificada. Eles estavam mexendo com uma figura de um vulto enorme.

Por meio de uma reconstituição que é bastante fiel aos fatos, Vilardaga reconstrói toda a trajetória do médico, mostrando o seu início na medicina, na área de Andrologia; a mudança de trajetória profissional, quando ele começa a trabalhar com reprodução humana; o auge de sua carreira e o seu grande calvário, quando, após a investigação feita pelo Ministério Público e pela Delegacia da Mulher, Abdelmassih foi condenado a 278 anos de prisão por mais de 48 crimes de abuso sexual, em que as vítimas eram as suas pacientes.

Assim como visto em À Queima Roupa: O Caso Pimenta Neves, em A Clínica: A Farsa e os Crimes de Roger Abdelmassih, o autor constrói a trajetória de sua personagem principal tendo como pano de fundo o desenvolvimento de uma área profissional – no caso deste livro, a reprodução humana no Brasil. Entretanto, Vilardaga vai mais a fundo, no sentido de mostrar o quanto Abdelmassih tinha uma personalidade doente, nunca assumindo de fato a sua culpa e achando, o tempo todo, que nunca iria ser atingido por uma condenação e, principalmente, uma eventual prisão.

À Queima Roupa: O Caso Pimenta Neves termina com um tom muito desanimador, na medida em que a obra mostra que a justiça brasileira não só tardava, como também falhava. No caso de Roger Abdelmassih, a justiça não falhou. Abdelmassih foi condenado e teve sua prisão decretada. Após a fuga do médico, uma segunda investigação, que uniu forças entre as vítimas, os jornalistas (em especial um produtor do programa Domingo Espetacular, da Rede Record) e o Ministério Público foi fundamental para que Abdelmassih fosse encontrado e recapturado. Mas, a verdade é que, quando observamos os rumos que o caso tomou hoje, a gente percebe que a justiça falhou também, afinal Abdelmassih encontra-se, atualmente, assim como Pimenta Neves, cumprindo sua pena em sua residência, sem tornozeleira… Isso é desrespeitoso com suas vítimas e, principalmente, com todas as aberrações que aconteceram dentro de sua clínica…

A Clínica: A Farsa e os Crimes de Roger Abdelmassih (2016)
Editora: Record
Autor: Vicente Vilardaga



A última modificação foi feita em:janeiro 8th, 2018 as 1:04 pm


Post Tags

Jornalista e Publicitária


Comentários



Deixe uma resposta