logo

Richthofen: O Assassinato dos Pais de Suzane | Lendo

publicado em:18/01/18 11:06 AM por: Kamila Azevedo Livros

Richthofen. Houve um tempo em que esse sobrenome era logo ligado à figura de Manfred Albrecht Freiherr Von Richthofen, conhecido como o “Barão Vermelho”, piloto de caça alemão na Primeira Guerra Mundial e considerado como o “ás dos ases”. Entretanto, para os brasileiros, esse sobrenome ganhou um novo significado a partir do dia 31 de outubro de 2002, quando aconteceu um crime que chocou o Brasil.

Foi nesta data que a jovem Suzane Von Richthofen se transformou na mandante do crime de seus pais, Marísia e Manfred Von Richthofen. Os assassinos foram, respectivamente, seu namorado Daniel e o irmão dele, Cristian Cravinhos. O crime causou um impacto enorme no Brasil não só pelo fato de se tratar de uma filha que ordenou a morte dos pais, mas, principalmente, pelos contornos de crueldade com o que o ato foi cometido.

O livro Richthofen: O Assassinato dos Pais de Suzane, escrito por Roger Franchini, traz os bastidores da investigação deste caso, mas se enganam aqueles que pensam que o livro tem como foco principal as figuras de Suzane e dos irmãos Cravinhos. A obra, na realidade, tem como enfoque central a figura de Eduardo, um investigador da Polícia Civil com trajetória profissional de caráter duvidoso, mas que é respeitado pelos colegas e vê na chance de desvendar o crime a oportunidade perfeita para se manter no Distrito Policial em que ele está atualmente, após a mudança na chefia do setor.

Desta maneira, o autor alterna os pontos de vista de Eduardo sobre as engrenagens da Polícia Civil, em especial aquelas que ficam por debaixo dos panos e que escondem a corrupção e o jogo de poder que acontecem nas delegacias; e a visão sobre o crime em si, em que são retratados – de forma superficial – o relacionamento entre Suzane e Daniel, como foi a linha de tempo do crime, como as atitudes de Cristian acabaram por desmoronar a tese de simples latrocínio que estava sendo adotada pela Polícia como linha de investigação e como o caso acabou sendo desvendado.

Se você lê Richthofen: O Assassinato dos Pais de Suzane sabendo que o livro não tem como objeto principal o caso de Suzane e dos irmãos Cravinhos, você irá apreciar bastante a obra. Entretanto, se você procura este livro achando que vai ler uma investigação profunda sobre o assassinato de Marísia e Manfred, você irá se decepcionar. Roger Franchini se preocupa mais em construir bem a storyline de Eduardo – talvez, por ele conhecer bem essa realidade, na medida em que, assim como a personagem, foi investigador da Polícia Civil de São Paulo – do que a do crime em si.

Richthofen: O Assassinato dos Pais de Suzane (2011)
Editora: Planeta do Brasil
Autor: Roger Franchini



Post Tags

Jornalista e Publicitária


Comentários



Deixe uma resposta