>Sex and the City - O Filme (Sex and the City, 2008)

>

Por seis temporadas, o público de todo o mundo seguiu atentamente às crônicas das vidas de quatro amigas bem-sucedidas, independentes e donas de personalidades bastante específicas. Através dos textos escritos por Carrie Bradshaw (Sarah Jessica Parker) para a sua coluna, acompanhávamos a busca delas por um grande amor (seja ele temporário ou permanente) em meio a todas as tentações trazidas pela vida em Nova York, uma metrópole cheia de luxo, poder e riqueza.

Quatro anos após o término do seriado “Sex and the City”, em 2004, o diretor e roteirista Michael Patrick King (que, pelo seu trabalho no programa, foi indicado a 11 Emmys, dos quais venceu dois) transpõe todo este universo para a grande tela. O filme baseado na série já começa com o pé direito ao nos mostrar – durante os créditos iniciais – que pouco mudou na vida das quatro amigas: Carrie continua com Mr. Big (Chris Noth); Charlotte York (Kristin Davis) é uma mulher plena e feliz ao lado do marido Harry Goldenblatt (Evan Handler) e da filha adotiva Lily (Alexandra Fong); Miranda Hobbs (Cynthia Nixon) persiste ao lado de Steve (David Eigenberg) e do filho Brady (Joseph Pupo); e Samantha Jones (Kim Cattrall, ótima) permanece ao lado de Smith Jarrod (Jason Lewis), que se transformou num ator de sucesso em Los Angeles.

A grande questão abordada pelo roteiro de “Sex and the City – O Filme” é o término da felicidade ou das múltiplas possibilidades que a vida a dois nos proporciona. Isto está bem representado pela crise no relacionamento entre Samantha e Smith, pela separação de Miranda e Steve e pelo cancelamento da união entre Carrie e Mr. Big (que se chama, na realidade, John James Preston). Aqui, o longa retoma o grande tema do seriado: a única relação permanente que as quatro amigas irão vivenciar, de forma plena, é aquela de amizade, companheirismo e diversão existente entre elas.

Se no caso de outros filmes baseados em programas de TV, como “Os Simpsons – O Filme”, o grande problema era a sensação da obra como sendo um episódio prolongado da série; o de “Sex and the City – O Filme” se encontra na maneira como a qual o diretor Michael Patrick King nos apresenta seu roteiro. Em 148 minutos, ele aborda temas que seriam desenvolvidos em uma temporada inteira de 23 episódios. Ou seja, tudo acontece muito rápido – e de forma muito superficial. Mesmo assim, o carisma das atrizes que interpretam as quatro amigas é suficiente para nos fazer deixar isso de lado, bem como a previsibilidade do roteiro. No final, “Sex and the City – O Filme” acaba servindo como uma conclusão mais que adequada à jornada de Carrie Bradshaw, Miranda Hobbs, Samantha Jones e Charlotte York.

Cotação: 7,0

Sex and the City - O Filme (Sex and the City, EUA, 2008)
Diretor(es): Michael Patrick King
Roteirista(s): Michael Patrick King (baseado na obra de Candace Bushnell e no seriado criado por Darren Starr)
Elenco: Sarah Jessica Parker, Kim Cattrall, Kristin Davis, Cynthia Nixon, Chris Noth, Candice Bergen, Jennifer Hudson, David Eigenberg, Evan Handler, Jason Lewis, Mario Cantone, Lynn Cohen, Willie Garson, Joanna Gleason, Joseph Pupo

Deixe uma resposta