logo

A Menina Índigo | Resenha Crítica

publicado em:23/05/18 5:04 PM por: Kamila Azevedo Filmes

O termo criança índigo é utilizado para descrever crianças que possuem habilidades especiais, uma maior sensibilidade, personalidades peculiares e que desenvolveram um grande senso ético-moral. O filme A Menina Índigo, dirigido e escrito por Wagner de Assis, tem como personagem principal a menina Sofia (Letícia Braga), que, aos sete anos, começa a apresentar um comportamento que é considerado diferente e que causa transformações na relação que ela estabelece com os pais (Murilo Rosa e Fernanda Machado), com as professoras e colegas de escola e com seus familiares no geral.

Apesar da tenra idade, no decorrer de A Menina Índigo, Sofia tomará para si algumas importantes responsabilidades. A principal passa a ser que ela começa a perceber como seu o papel de ajudar as pessoas ao seu redor, notadamente aquelas que estão passando por algum problema de saúde – na medida em que ela descobre que possui o poder de curar com a imposição das mãos – e as que ela ama, uma vez que ela passa a se dedicar à reconstrução do relacionamento entre os seus pais.

Entretanto, o que o filme nos mostra é como Sofia acaba transformando a realidade ao seu redor com uma mensagem de amor e de tentar enxergar o nosso próximo por aquilo que ele verdadeiramente é. Neste sentido, chama a atenção em A Menina Índigo a naturalidade do talento de Letícia Braga, que consegue transmitir as nuances de uma personagem infantil que tem muita complexidade.

O diretor Wagner de Assis é um especialista neste tipo de temática mais espiritual – a qual permeia toda a sua filmografia. Filmes como o que ele faz são muito importantes para poder disseminar mensagens que tenham um potencial transformador da nossa sociedade. Já somos tão contaminados, diariamente, com energias ruins, notícias de cunho negativo; que, quando nos deparamos com obras como essa, nos faz ter esperança sempre de que dias melhores estão por vir.

A Menina Índigo (2016)
Direção: Wagner de Assis
Roteiro: Wagner de Assis
Elenco: Letícia Braga, Murilo Rosa, Fernanda Machado, Paulo Figueiredo, Débora Kalume, Eriberto Leão, Xuxa Lopes



Post Tags

Jornalista e Publicitária


Comentários


Eu gosto muito de filmes com temática espírita.A lista é extensa e posso citar “Além da Vida” de Clint Eastwood,”Amor Além da Vida” com Robin Williams e “A Cabana” com Sam Worthington e Octavia Spencer.”Confesso que antes de conferir o filme eu não conhecida nada a respeito de criança índigo.Para quem gosta de filme espírita vale conferir.Concordo com sua crítica,principalmente em relação a obras com mensagem positiva(em um mundo bombardeado por notícias negativas)

Responder

Paulo, eu também gosto de filmes com a temática espiritual. Não conhecia nada sobre as crianças índigo, mas achei muito interessante a forma como o filme abordou este tema.

Responder

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.