Feliz Natal

Em uma determinada cena de “Feliz Natal”, filme que marca a estréia do ator Selton Mello na direção de um longa-metragem, Mércia (Darlene Glória) olha para a sua família e os questiona sobre o feriado que costumamos comemorar no dia 25 de Dezembro. Para ela, o Natal não se restringe aos comes e bebes ou ao consumismo, e sim deveria ser o marco inicial da celebração do Menino Jesus todos os dias em nossos corações. A reflexão feita pela personagem introduz uma outra, a qual é o tema central de “Feliz Natal”: a de que a presença de pessoas que ficam totalmente depressivas nesta data acontece muito mais do que a gente imagina.

 

O longa segue Caio (Leonardo Medeiros), homem que volta para casa para a celebração do Natal. Para ele, o ato do retorno é muito difícil porque, nesses anos todos, ele causou muita dor à sua família, bem como originou sofrimento nele mesmo. O interessante é perceber que a luta contra os fantasmas do passado não é própria de Caio. Todos os membros de sua família (representada, além da já citada Darlene Glória, pelos atores Lúcio Mauro, Paulo Guarnieri e Graziella Moretto) possuem suas feridas abertas e tentam lidar com isso. “Feliz Natal” entra num viés ainda mais triste quando vemos que, no meio de tanta infelicidade, existem crianças que são obrigadas a crescer em meio a pessoas que estão por demais absortas nelas mesmas.

 

Selton Mello é um daqueles casos raros de atores que se mantém muito próximo ao público mesmo estando longe da televisão. Um ator que vive, basicamente, do cinema e do teatro, Mello já trabalhou com algumas das nossas mentes mais criativas, como Luiz Fernando Carvalho, Heitor Dhalia e Lírio Ferreira. O convívio com eles e pequenos trabalhos como a direção de videoclipes para a banda Ira! deram para Mello a confiança necessária para enfrentar o grande desafio de sua carreira. Com “Feliz Natal”, Selton se mostra um diretor muito promissor, que sabe arrancar performances inspiradas de seu elenco e que, principalmente, sabe como apresentar a sua história de uma forma única.

 

Cotação: 9,0

 

Feliz Natal (2008 )

Diretor: Selton Mello

Roteiro: Selton Mello e Marcelo Vindicato

Elenco: Leonardo Medeiros, Darlene Glória, Paulo Guarnieri, Graziella Moretto, Lúcio Mauro, Fabrício Reis

22 comments

  1. Robson Saldanha 24 dezembro, 2008 at 00:45 Responder

    Kamila, fiz um apanhado geral e vi que tinha mais elogios a crítica a se fazer do filme. O fato é que ele me entediou mas ao mesmo tempo fez com que eu visse como sou feliz… hehehehe minha crítica sai em breve! Nota 8,0!

  2. Vinícius P. 24 dezembro, 2008 at 02:34 Responder

    Puxa, só grandes filmes nessa semana, hein Kamila? Quero muito conferir esse “Feliz Natal”. Sou fã do trabalho do Selton Mello como ator (complicado encontrar algum filme no qual ele tenha decepcionado) e espero que atrás das câmeras seja tão bom quanto. E o longa tem tudo a ver com a data 😉

  3. Romeika 24 dezembro, 2008 at 10:28 Responder

    Nossa, alem de ator talentoso (um dos melhores do Brasil), ele tb se sai bem atras das cameras? Fica aqui anotada a sugestao do filme, cuja historia tb me atraiu, justamente por fugir daquele tema socio-realista do cinema brasileiro. Feliz Natal, Kamila!!

  4. Mayara Bastos 24 dezembro, 2008 at 13:03 Responder

    Olá, Kamila! tdo bem?

    Ainda não vi “Feliz Natal”, ele passou despercebido por aqui, mas verei quando puder. Estou ouvindo só maravilhas sobre ele e confio em Selton Mello!

    Então, desejo a vc um FELIZ NATAL cheio de bençãos, paz e bons filmes!

    Beijos! 😉

  5. Weiner 24 dezembro, 2008 at 13:29 Responder

    Nosso cinema deve se orgulhar deste tipo de filme – especialmente quando é idealizado por um ator tão competente e versátil (Selton atrás das câmeras deu espetáculo).
    E… Feliz Natal!
    Beijos!

  6. Sérgio Déda 24 dezembro, 2008 at 13:40 Responder

    Achei uma ótima estréia do Selton como diretor, ele que para mim é o melhor ator do cinema nacional.

    Feliz natal Kamila, tudo de bom e obrigado por acompanhar meu blog durante este ano tb! Que venham muitos filmes de presente hoje à noite! kkkkk

  7. Kau 24 dezembro, 2008 at 15:36 Responder

    Kami, exatamente a mesma nota que dei. O filme me chamou atenção justamente por mostrar um lado meio pessimista do Natal. Inclusive, não há um final tão feliz quanto se esperava…

    Eu, particularmente, só achei que Selton deixou-se influenciar demais pelo cinema estilístico de Cassavetes. Cenas visualmente pesadas demais. Poderiam ocorrer, mas não em escala tão alta.

    Beijos!

  8. Vulgo Dudu 24 dezembro, 2008 at 18:11 Responder

    O Natal tem esse poder de agregar ou diluir o núcleo familiar. Uma espécie de balanço de fim de ano, só que coletivo. Eu quase vi várias vezes esse filme, mas acabava escolhendo outro. Mas quero muito conferir, pois gosto do trabalho do Selton Mello diante das telas.

    Kamila, um 2009 cinematográfico para você!

    Bjs!

  9. Alex Gonçalves 24 dezembro, 2008 at 18:32 Responder

    Kamila, confesso que não sou fã nº. 1 de Selton Mello, mas fico feliz por ver que a sua primeira experiência como diretor de longa-metragem tenha conquistado o público e vários prêmios nos festivais de cinema nacional. O que gosto dele é que ele se dedica inteiramente a sua profissão em áreas fora da televisão. Acho uma pena que tantos intérpretes talentosos que podem oferecer tanto para o nosso cinema desperdice o próprio potencial em novelas cada vez mais horrendas.

    Beijos, feliz natal!

  10. Hélio 25 dezembro, 2008 at 13:42 Responder

    Vi este na Mostra de SP. Acho que o Selton Melo tem talento pra coisa, mas o filme fica muito preso a certos tiques que me irritaram: por exemplo, há sempre espaço para que os atores tenham um momento de atuação brilhante, onde saem com monólogos “inspirados” ou engraçadinhos, lembrando muito o que o proprio Melo como ator tinha em Meu Nome Não é Johnny. Acho que essa atenção demais a diálogos espertos desvia o interesse do filme. Ainda assim, é cheio de sentimentos. Adoro aquela camera colada nos personagens. Mas aí de novo ha mais excesso. De qualquer forma, o homem tem talento. Espero que saia mais coisas daí.

    Abraços!

  11. Kamila 26 dezembro, 2008 at 20:39 Responder

    Vinícius, com exceção de “Madagascar 2”, esta foi mesmo uma ótima semana no cinema. 🙂 Quanto ao Selton Mello, concordo com tudo o que disse a respeito dele. E, realmente, o filme tem tudo a ver com a data especial que vivemos hoje. Abraço!

    Romeika, exatamente! Selton também é talentoso como diretor. Espero que o longa chegue por aí! Feliz Natal para você também!

    Mayara, tudo bem, obrigada. E com você? Que pena que não conseguiu assistir a este filme quando ele passou por aí. Feliz Natal para você também! Beijos!

    Weiner, com certeza! E nós, como platéia, devemos prestigiar este tipo de filme de alta qualidade feito em nosso país. Feliz Natal! Beijos!

    Sérgio, acho que o Selton e o Wagner Moura são os melhores atores do cinema nacional. Obrigada também por acompanhar as discussões do “Cinéfila por Natureza” neste ano. Feliz Natal!!!

    Lucas B., que pena! Mas, não deixe de conferir este filme quando tiver oportunidade.

    Kau, como eu não conheço muito do cinema do Cassavetes, vou me eximir de entrar nos méritos da comparação que você fez. Beijos!

    Dudu, o Natal, para mim, é uma data com sabor agridoce. Gosto de estar ao lado de minha família, mas sinto falta daqueles que não estão mais aqui. Além disso, tem sempre aquele senso de balanço, como você mesmo disse, do que a gente fez neste ano, no que pode melhorar para o próximo. Beijos e que 2009 seja um ano magnífico para todos nós!!!

    Alex, eu admiro demais o Selton justamente por ele ter poder de escolha. De se entregar (ao máximo, como você bem disse) àquilo que ele quer fazer. Por isso, que ele sempre faz as coisas bem feitas. Beijos e feliz Natal!

    Rafael Moreira, pelo visto, a estréia do Selton não só me agradou, como a outras pessoas. Espero que assista ao filme em breve. Feliz Natal! Abraço!

    Denis, obrigada! Retribuo todos os votos, inclusive o “menos no futebol”. 🙂

    Wally, que pena!!! Mas, espero que possa assistir a este lindo filme em breve. Espero que tenha tido um maravilhoso Natal! 🙂

    Hélio, também notei estes tiques. A cena que, de longe, mais me deixou desconfortável foi aquela em que os personagens passam pelo tal momento de lucidez, se enxergando ao som daquela música do Plínio Profeta, tomando coragem para tomar os atos que vemos no final. Abraços!

    Brenno, fechou, com certeza!!!!!!!

  12. Não se Vive sem Amor « Cinéfila por Natureza 24 junho, 2011 at 22:36 Responder

    […] ficar um pouco mais deprimidas (isso foi muito bem abordado, por exemplo, num longa como “Feliz Natal”, de Selton Mello), é importante mencionar que “Não se Pode Viver sem Amor” nunca entra […]

Deixe uma resposta