O Vislumbre do Futuro de Don Draper*

*Atenção aos spoilers.

Foi ao ar ontem à noite, na HBO Brasil, com mais de 8 meses de atraso, a season finale da quarta temporada do seriado “Mad Men”. “Tomorrowland”, episódio escrito por Jonathan Igla e Matthew Weiner e dirigido por Matthew Weiner, tem um nome que já fala por si só, uma vez que boa parte dele fala sobre a contemplação de um futuro para Don Draper e sua agência, numa extensão do que já estava sendo abordado nos episódios anteriores dessa temporada.

O curioso nessa quarta temporada de “Mad Men” é que ela nos dá a impressão de ter sido o retrato de um ponto de transição na vida de Don Draper. Quando ela começou, Draper estava recém-divorciado de Betty (January Jones) e parecia colocar todas as suas fichas no trabalho, mais precisamente no progresso e sucesso de seu novo empreendimento (a Sterling Cooper Draper Pryce). Na medida em que a temporada avança, começam os problemas com a agência, especialmente após a saída de importantes clientes, o que obriga Don Draper, não só a rever seus conceitos, como a descer bastante do pedestal que ele impôs a si mesmo.

Já que estamos falando da sensação de recomeço, esta é um sentimento recorrente na quarta temporada de “Mad Men”. Não só para Don Draper, como também para a maioria dos personagens, que, ou estão começando novos capítulos de suas vidas, ou estão vivendo novos acontecimentos, ou estão passando por situações que acabam influenciando naquilo que acabamos nos transformando, ou estão ganhando novas oportunidades. A terra do amanhã (para fazer uma citação direta ao título deste episódio) está aí pra todos.

Porém, vamos nos ater ao ato final deste episódio, que tem início com a viagem que Don Draper faz com seus três filhos e a secretária Megan (Jessica Paré) para a Califórnia. Numa cena surpreendente, Don Draper dá o passo definitivo para o seu reinício, mesmo que você não sinta firmeza na decisão dele de desposar Megan. Entretanto, as três temporadas anteriores de “Mad Men” nos ensinaram algo a respeito de Don: quando nem ele mesmo tem certeza a respeito de sua identidade, com Dick e Don se misturando dentro dele em vários momentos, não existe propósito em tentar compreendê-lo. Não, pelo menos, enquanto ele continuar se escondendo por trás da figura que criou. Não, pelo menos, enquanto ele continuar não se aceitando pelo que ele é de verdade – é importante frisar que ele está no processo disso, como também provam os episódios produzidos depois dos reveses sofridos pela Sterling Cooper Draper Pryce.

Talvez, por isso mesmo, o momento mais importante de “Tomorrowland” tenha sido a cena que se segue ao pedido de casamento de Don: o reencontro dele com Betty, quando ela está acabando a mudança da casa que, um dia, dividiu com o ex-marido. Nela, Don corta de vez todo o cordão umbilical que o unia aquela vida antiga (e que representa todos aqueles conflitos que se agigantavam dentro dele a ponto de sufocá-lo de uma forma impressionante) e se mostra de vez preparado para tentar encontrar a sua paz. Ele acredita piamente nisso e, provavelmente, essa seja a sua grande busca nesse seriado inteiro. E isso está metaforicamente explicitado de forma bela na cena que fecha o season finale, com Megan dormindo com o rosto encostado no peito de Don, enquanto ele observa atentamente a janela, o horizonte, como se tentasse entender o que o futuro lhe reserva, como se tivesse medo disso, como se ele tivesse receio de voltar à infelicidade que ele está, claramente, deixando para trás a cada dia.

“Mad Men” tem sua continuidade com a quinta temporada, que estreia, nos Estados Unidos, no começo de 2012.

7 comments

  1. Ivan Monteiro 28 junho, 2011 at 04:46 Responder

    Meu seriado favorito. Não consigo pensar em outro melhor. É o único que me leva à entrar na melancolia, dilemas e complexidade dos personagens. O tempo passa rápido quando assisto, mesmo com o ritmo lento… como pode?

    Ótimo texto por sinal!!

    • Kamila 28 junho, 2011 at 23:18 Responder

      Ivan, é um dos meus seriados favoritos também. Obrigada!

      Reinaldo, obrigada! 🙂 Beijos!

      Cleber, aproveite para se atualizar com a série. rsrsrs

  2. Luis Galvão 3 julho, 2011 at 20:26 Responder

    Mad Men inspira confiança; Nunca esperei por isso com Megan nem muito menos que Don tomasse tal atitude. É incrível como, mesmo assim, adorei o desfecho, porque a vida de Draper sempre foi assim mesmo, cheio de atitudes inesperadas e que brotam e tem impacto gigante no futuro. Quero ver o que acontece após isso.

    • Kamila 4 julho, 2011 at 00:15 Responder

      Luís, nem eu esperava ver Don noivo de Megan! Uma coisa surpreendente!!!! Eu também fiquei curiosa para o pós dessa decisão!

Deixe uma resposta