Os Melhores e os Piores Filmes de 2013

2013 foi um ano atípico para o cinema, na minha opinião. A sensação que eu tenho foi a de que tivemos um primeiro semestre de ano muito bom, especialmente se levarmos em consideração o fato de que foi neste período em que estrearam boa parte dos filmes que chamaram a atenção no Oscar 2013. Entretanto, pelo resto do ano, ficou aquele sentimento de que a maioria dos filmes que estrearam não deixaram uma marca muito forte na plateia. A situação melhorou um pouco no final de 2013, com a estreia de filmes que causam buzz para o Oscar 2014, como "Gravidade", "Blue Jasmine", "Azul é a cor mais Quente", entre outros; mas a verdade é que 2013, para os cinéfilos, foi um ano muito irregular.

Para o cinema brasileiro, o ano de 2013, apesar do número recorde de produção de novos filmes (foram 120 lançamentos, que superaram recordes de público e renda), o balanço geral também foi muito fraco. As produtoras apostaram nas comédias de tom popularesco e que causam apelo certeiro no público de massa. Porém, ao mesmo tempo, o cinema nacional nos reservou, em 2013, aquele que seria um dos melhores filmes do ano: "Flores Raras", de Bruno Barreto, uma co-produção brasileira e norte-americana.

2013 também fica marcado como o ano que confirma a má fase pela qual passa um dos gêneros mais inventivos dos últimos anos: o de animação - até a Pixar, que parecia imbatível, não conseguiu repetir seus momentos mais inspirados no gênero. 2013 também mostra que o gênero "menina dos olhos" dos estúdios norte-americanos, atualmente, é o de ficção científica - e, isso, talvez, se explica pela constante necessidade que o ser humano tem de entender o mundo em que ele está inserido, especialmente quando se encontra diante de obstáculos que, aparentemente, são invencíveis.

De toda maneira, 2013 é um ano que prova o que temos observado recorrentemente nos últimos tempos: Hollywood, no posto de maior indústria cinematográfica do mundo, precisa, urgentemente, rever seus padrões e promover uma revolução criativa, trazendo de volta para a sétima arte o espaço para experimentações, de forma a promover a evolução da linguagem cinematográfica.

Os Melhores de 2013

Fotor1223113045medium
Dentre os lançamentos nas salas de cinemas brasileiras, bem como os lançamentos diretos em videolocadoras, em 2013, esses são aqueles que consideramos os 10 melhores filmes do ano:

01. Amor (Amour, 2012, dirigido por Michael Haneke)
02. Os Miseráveis (Les Miserábles, 2012, dirigido por Tom Hooper)
03. O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook, 2012, dirigido por David O. Russell)
04. Gravidade (Gravity, 2013, dirigido por Alfonso Cuarón)
05. Flores Raras (Reaching for the Moon, 2013, dirigido por Bruno Barreto)
06. Antes da Meia-Noite (Before Midnight, 2013, dirigido por Richard Linklater)
07. Os Suspeitos (Prisoners, 2013, dirigido por Denis Villeneuve)
08. Faroeste Caboclo (2013, dirigido por René Sampaio)
09. 42: A História de uma Lenda (42, 2013, dirigido por Brian Helgeland)
10. A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty, 2012, dirigido por Kathryn Bigelow)

O Melhor Filme: "Amor", de Michael Haneke
O Melhor Diretor: Michael Haneke, "Amor"
O Melhor Ator: Hugh Jackman, "Os Miseráveis"
A Melhor Atriz: Emmanuelle Riva, "Amor"
O Melhor Ator Coadjuvante: Leonardo DiCaprio, "Django Livre"
A Melhor Atriz Coadjuvante: Anne Hathaway, "Os Miseráveis"
O Melhor Roteiro Original: Mark Boal, "A Hora Mais Escura"
O Melhor Roteiro Adaptado: Tony Kushner, "Lincoln"
O Melhor Elenco: "O Lado Bom da Vida"
O Melhor Filme Nacional: "Flores Raras"
A Melhor Animação: "Detona Ralph"
A Melhor Fotografia: Janusz Kaminski, "Lincoln"
A Melhor Montagem: William Goldenberg e Dylan Tichenor, "A Hora Mais Escura"
A Melhor Direção de Arte: Sarah Greenwood e Katie Spencer, "Anna Karenina"
O Melhor Figurino: Jacqueline Durran, "Anna Karenina"
A Melhor Trilha Sonora Original: Dario Marianelli, "Anna Karenina"
A Melhor Maquiagem: "A Viagem"
Os Melhores Efeitos Visuais: "A Viagem"
O Melhor Som: "Os Miseráveis"

Os Piores de 2013

Quando entrei o ano de 2013, fiz uma resolução cinematográfica: não me permitir assistir filmes que eu sei que são de mau gosto. Essa, no final das contas, foi uma das melhores resoluções que eu já tomei, pois não perco mais meu tempo assistindo a coisas que eu sei que são ruins. Mesmo assim, sempre acaba passando alguma coisa na peneira. Neste ano, vou me eximir de fazer a lista de piores filmes de 2013, para não correr o risco de ser injusta com algum longa que, por ventura, não tenha caído no meu gosto pessoal (como, por exemplo, "Moonrise Kingdom", de Wes Anderson). Decidir escolher, então, um filme que, pra mim, representa o que eu vi de pior no cinema em 2013: "Guerra Mundial Z", de Marc Forster.

Para mim, esse filme é o pior de 2013, pois representa tudo aquilo que tem de problemático na indústria cinematográfica hollywoodiana atualmente. O roteiro faz um apanhado geral de todos os clichês do gênero de ficção científica e sofreu a intervenção do estúdio que produziu o longa, que contratou roteiristas extras para resolver os muitos problemas de desenvolvimento da trama. A direção fria de um profissional como Marc Forster só nos mostra que um bom diretor não consegue fazer milagres se você tem um material narrativo extremamente ruim. E, para completar, temos um Brad Pitt no seu padrão de qualidade habitual, repetindo a mesma cara e os mesmos trejeitos de sempre, com uma cara de tédio que perdura o filme inteiro. Ou seja: se você tem profissionais envolvidos num filme e os próprios produtores, que não acreditam no potencial do material que estão trabalhando, só pode dar um resultado negativo como esse.

Que 2014 seja um ano cinematográfico BEM melhor para todos nós!

32 comments

  1. Mayara Bastos 24 dezembro, 2013 at 01:07 Responder

    Lembro de uma história que rolou que Brad Pitt e Marc Forster não se entenderam nos bastidores de “Guerra Mundial Z”, até mesmo que Brad queria que Forster fosse demitido. Pode ser que esses problemas resultaram no resultado final do filme.

    Já sua lista de melhores tem metade de alguns que amei de coração. rsrsrs. Caprichou, como sempre, amiga!

    Um belo Natal e um 2014 repleto de arte e conquistas pra você! 😉

    • Kamila Azevedo 3 janeiro, 2014 at 00:27 Responder

      Mayara, sim, eu sei dessa história de bastidores entre os dois, mas acho que o problema de “Guerra Mundial Z” está muito mais embaixo!

  2. Alessandro Zanchin 24 dezembro, 2013 at 01:36 Responder

    Finalmente alguém que não gostou de “Moonrise Kingdom”, mas no meu caso é pq detesto tudo do Anderson mesmo rs

    E essa dica de evitar filmes q sei q são ruins eu faço a anos, mas sempre aparece alguém falando ‘tem q ver pra saber se é ruim’. Para mim é sempre tão fácil, basta ver trailers ou conferir elenco e direção para se ter uma ideia.

    Só vi “WWZ” pq tanta gente falou bem, então resolvi dar um crédito aos meus amigos, qdo na verdade deveria ter confiado nos meus instintos, como sempre, é um filmeco, mas o q esperar, sendo Pitt o protagonista?

    Esse ano os piores q vi foram “Spring Breakers” e “A Grande Beleza”, evite ambos rs

    • Kamila Azevedo 3 janeiro, 2014 at 00:27 Responder

      Alessandro, o cinema do Wes Anderson não é pra mim. E deixei de lado essa de que “tem que ver para saber se é ruim”. rsrsrsrs

  3. Matheus Pannebecker 24 dezembro, 2013 at 03:37 Responder

    Kamila, que bom ver que tu tomaste a mesma resolução que eu tomei ano passado: a de não ver filmes que já podemos deduzir que são boas. Não tenho mais tempo nem paciência para dar chances a filmes que só pelo cartaz já consigo saber que são bombas.

    Quanto ao ano de 2013, ele foi completamente surpreendente para mim. Vi pelo menos cinco obras que me arrebataram por completo: “Os Miseráveis”, “O Lugar Onde Tudo Termina”, “O Mestre”, “Os Suspeitos” e “Gravidade”. Outros me conquistaram por sua grande sensibilidade, como “Ferrugem e Osso”, “O Que se Move”, “Flores Raras”, “Amor”, entre outros.

    Ou seja, no geral, 2013 foi um ano excelente, na minha opinião! E estou para ver “Guerra Mundial Z” essa semana. Depois venho aqui te dizer o que achei.

    Grande beijo!

  4. Alex Gonçalves 24 dezembro, 2013 at 12:03 Responder

    Tenho que concordar com você, Kamila. Tivemos um primeiro semestre muito forte, mas de julho em diante os destaques foram poucos. E isso vale tanto para os blockbusters quanto as produções independentes e europeias. Quanto a sua lista, não posso deixar de mencionar que não gosto de algumas escolhas (considero “Os Miseráveis” uma das maiores bombas do ano), mas gostei muito de outras (amei os destaques para “A Hora Mais Escura”). Também não vou concordar com a escolha de “Guerra Mundial Z“ como o pior filme do ano. Sim, foi uma produção problemática, mas o resultado final é bem positivo.

  5. Amanda Aouad 24 dezembro, 2013 at 20:56 Responder

    Da sua lista de melhores gosto de quase todos e só não vi 42: A História de uma Lenda. Apesar de minha lista ter várias diferenças, é uma seleção respeitável, rs.

    Um 2014 realmente muito melhor para todos nós, Kamila.

  6. Paulo Ricardo 24 dezembro, 2013 at 22:23 Responder

    Assisti os 10 filmes da sua lista e todos são ótimos.”42-A História de uma Lenda” foi lançado diretamente em DVD mas é um filme muito bom e Harrison Ford está muito bem.Destaque para “Amor”,”O Lado Bom da Vida” e “Gravidade”.”Flores Raras” foi uma surpresa e não gosto dos filmes do Bruno Barreto,mas ele dirigiu um filme sensível com uma inspirada Glória Pires e Miranda Otto.Destaco a trilha de Marcelo Zarvos.Legal você ter mencionado “A Viagem” que é um filme que pretendo rever e tive o prazer de assistir no cinema,é um filme muito bonito e me parece que não foi compreendido pela critica.Destaco “O Mestre” de Paul Thomas Anderson,”O Som ao Redor” de Kleber Mendonça Filho,”Invocação do Mal” de James Waan e “Ferrugem e Osso” de Jacques Audiard.Eu gostei de “Guerra Mundial Z” mas é um filme que dividiu opiniões.O pior filme de 2013?”Angie” de Marcio Garcia e o melhor eu divido entre “Gravidade” e “Amor”(dois filmes diferentes,mas que cumpre com a proposta de bom cinema).

    Feliz Natal e um 2014 de realizações pra ti 🙂

    Beijos!

  7. bruno knott 30 dezembro, 2013 at 01:30 Responder

    Também sou um defensor de Os Miseráveis… que belo filme!!! Dos que estão na lista, apenas não vi Flores Raras. Quanto a escolha do pior, compreendo seus argumentos e concordo com a maioria deles, mas não achei Guerra Mundial Z tão ruim assim. Fiquei entretido, mas não teria vontade de ver novamente.

  8. Clóvis Tayllon 31 dezembro, 2013 at 15:56 Responder

    Assisti a muito poucos filmes entre os lançados em 2013. Quando terminar de conferir alguns, eu volto aqui e publico a minha lista. Dentre o seu top ten, eu assisti a quatro deles: “Os Miseráveis”, “O Lado Bom da Vida”, “Gravidade” e “A Hora Mais Escura”. Gosto de todos eles, com exceção do filme d David O. Russel, que considero penas mediano. Além dos mais, concordo contigo com a escolha do pior filme do ano. É o meu menos favorito também.

    Abs.

    • Kamila Azevedo 3 janeiro, 2014 at 00:22 Responder

      Clóvis, também assisti a poucos filmes dentre os lançados em 2013 e minha lista pode, sim, ser injusta em algum aspecto, mas ela é sincera ao que eu aprecio no cinema.

  9. Carissa 3 janeiro, 2014 at 04:07 Responder

    Concordo com tudo, tirando roteiro adaptado, mas pode ser o fato de não conseguir engolir o “mais do mesmo” do Spielberg. Ele deixou de ser inventivo e Lincoln é a coroação dessa fase “agora sigo os padrões da indústria”.
    Não sei se colocaria Amor como melhor filme, mas sem dúvida foi um dos melhores que vi no ano. E as interpretações são geniais, mas o que se poderia esperar de um diretor tão bom, não é?

    Muito bom o post.

    Que venham bons filmes em 2014!

    • Kamila Azevedo 12 janeiro, 2014 at 23:28 Responder

      Carissa, eu gosto do roteiro de “Lincoln” e acho muito bom o filme, especialmente no relato histórico que faz, mas concordo que não é a obra recente mais inspirada do Spielberg.

  10. Wendell Marcel 13 janeiro, 2014 at 11:09 Responder

    Ola Kamila, como vai?
    Esse ano vários surpresas nos cinemas. Contudo, para mim, as maiores foram Tatuagem (do Brasil) e Os Miseráveis, os dois com muita música e interpretações viscerais dos atores. Magníficos. Mas não seria completo sem A Caça, o longa mais tocante do ano.

    Abraço e bons filmes!

    • Kamila Azevedo 13 janeiro, 2014 at 12:18 Responder

      Wendell, tudo bem, obrigada. E com você? Infelizmente, não conferi “Tatuagem”. Perdi as chances que tivemos quando o CineCult trouxe para cá. E também ainda tenho que conferir “A Caça”, que todos elogiam bastante. Abraço e bons filmes para você também!

  11. Reinaldo Glioche 21 janeiro, 2014 at 16:41 Responder

    Gostei da sua lista Ka. Eclética e com a qualidade que se espera de alguém que tanto preza o cinema. Só compartilhamos de um filme, porém, em nossos top 10. Coincidentemente ele ocupa a terceira posição tanto cá como lá. Os outros filmes por ai alinhados, com exceção de ” A hora mais escura” que não acho um filme bom, são apreciados por mim. Só discordo mesmo de “Guerra mundial Z” como o pior do ano. Curti o filme! rsrs
    Bjs

  12. Anderson de Souza (Andinhu) 22 janeiro, 2014 at 03:38 Responder

    Ual…quanto tempo que não apareço por aqui hehe.
    Lista bem diferente…vi poucas pessoas selecionando O Lado Bom da Vida, Os Miseráveis, Faroeste Caboclo e A Hora mais Escura. Antes da Meia Noite não me pegou como a maioria. Chegou a ver A Caça, Killer Joe, Azul é a Cor Mais Quente, O Som ao Redor e Django Livre? Só pra citar alguns da minha lista

    • Kamila Azevedo 23 janeiro, 2014 at 01:20 Responder

      Reinaldo, obrigada! Muita gente discordou da minha escolha de pior filme. 🙂

      Anderson, seja bem vindo de volta. Obrigada. Dos filmes que você citou, só assisti a “Django Livre” e não entraria na minha lista.

  13. Ana Giovanni 16 fevereiro, 2014 at 09:24 Responder

    Eu me diverti assistindo Guerra Mundial Z,não achei ruim não, filme ruim são aqueles que VC sai até constrangido do cinema querendo se esconder,filme pipoca,não vai ser lembrado,mas chato não achei.

    • Kamila Azevedo 16 fevereiro, 2014 at 22:45 Responder

      Ana, nem sempre um filme que te deixa constrangido é ruim. Filme ruim é filme sem objetivo e propósito. “Guerra Mundial Z” é um desses filmes.

Deixe uma resposta