Capitão América 2: O Soldado Invernal

publicado em:25/04/14 12:53 AM por: Kamila Azevedo Cinema

Depois de ser mantido congelado, Steve Rogers (Chris Evans), o Capitão América, foi retirado desta condição de forma a ser recrutado para trabalhar na S.H.I.E.L.D. (Divisão Logística e Aplicação de Intervenção Estratégica Interna), organização que faz um trabalho de contra-espionagem de forma a manter a lei no mundo. Já como um dos fieis escudeiros do Agente Nicholas Fury (Samuel L. Jackson, no modo automático canastrão), na sequência “Capitão América 2: O Soldado Invernal”, dirigido pelos irmãos Anthony e Joe Russo (conhecidos pela série “Arrested Development”!!!), um dos heróis mais emblemáticos do Universo Marvel enfrenta mais uma missão em que ele tem que salvar o mundo de um incrível risco.

O roteiro escrito por Christopher Markus e Steven McFeely é muito bem construído e envolve o espectador em uma série de temas que são clichês de filmes desse tipo, como por exemplo: intrigas, conspiração e uma trama megalomaníaca que permite aos diretores trabalharem com um material que lhes dá a oportunidade de construir cenas de ação de tirar o fôlego – bem como algumas que beiram o limite da veracidade! Um ponto positivo do filme também foi a inclusão de Natasha Romanoff/Viúva Negra (Scarlett Johansson) e Sam Wilson/Falcão (Anthony Mackie) como parceiros em cena do Capitão América – os dois personagens oferecem um contraponto mais leve que contrasta muito bem com a seriedade e o compromisso com o dever a ser cumprido de Steve Rogers.

De todos os heróis do Universo Marvel, aquele que mais representa o patriotismo norte-americano é o Capitão América. Um defensor da liberdade, a missão que ele tem que cumprir em “Capitão América 2: O Soldado Invernal” cai muito bem com a liderança que ele exerce sobre os outros e com os valores e ideais que ele defende. Após uma série de acontecimentos estranhos, a credibilidade da S.H.I.E.L.D. está em xeque e cabe ao Capitão Steve Rogers desvendar uma trama misteriosa e que envolve o desejo de dominação do mundo por uma força estranha e que, se for triunfante, transformará o mundo em um lugar obscuro e cheio de dor e sofrimento.

Por isso mesmo, não deixa de ser curioso o subtítulo do filme. Apesar de dar o seu devido destaque ao Soldado Invernal, um assassino profissional, cuja memória é implantada e que tem tanta força quanto o Capitão América; na realidade, esse personagem só ganha destaque no último quarto do filme e, principalmente, por causa da sua ligação com o passado de Steve Rogers. Esse é o único porém num filme de ação extremamente competente e que se revela tão bom quanto o primeiro filme dessa série, bem como um dos melhores filmes originados do Universo da Marvel.


Post Tags

Kamila Azevedo

Jornalista e Publicitária



Comentários


Para mim, é um ótimo filme – ainda que inferior ao original. Concordo contigo que o título induz ao erro, já que o soldado invernal passa longe de ser o principal vilão do filme. Mas o nome é cool, né?
Bjs

Responder

Reinaldo, pois eu achei essa continuação tão boa quanto a original. O nome, com certeza, é cool, mas engana a plateia.

Responder

Concordo, “Capitão América 2: O Soldado Invernal” é um dos melhores filmes originados do Universo da Marvel, se não o melhor. E a Viúva Negra é ótima e o Falcão também, espero que ele esteja nos outros filmes do Capitão e quem sabe até em alguma continuação de Os Vingadores.

Responder

[…] “Captain America: The Winter Soldier” “Dawn of the Planet of the Apes” “Godzilla” “Guardians of the Galaxy” “The Hobbit: The Battle of the Five Armies” “Interstellar” “Maleficent” “Night at the Museum: Secret of the Tomb” “Transformers: Age of Extinction” “X-Men: Days of Future Past” […]

Responder

Deixe uma resposta