logo

Quando nos Conhecemos | Resenha Crítica

publicado em:27/02/18 11:15 AM por: Kamila Azevedo Filmes

O título Quando nos Conhecemos, do filme dirigido por Ari Sandel, faz referência à situação central vivida pela personagem principal do longa: o jovem Noah (Adam Devine), que, ao conhecer Avery (Alexandra Daddario), na noite de Halloween de 2013, sente uma conexão tão especial com ela, a ponto de se apaixonar de cara por ela. Esse sentimento é revivido de forma ainda mais vívida quatro anos depois, quando vemos um arrasado Noah na festa de noivado de Avery e de Ethan (Robbie Amell).

É justamente o desejo de poder reviver aquela noite em que se conheceram e de poder fazer algo diferente, que mudasse o curso da amizade deles, que faz com que Noah, no decorrer do filme, acesse aquela noite de Halloween outras tantas vezes. Somente para constatar algo que já está claro para os cinéfilos desde os tempos de Efeito Borboleta, filme dirigido por Eric Bress e J. Mackye Gruber: voltar no tempo e alterar o curso dos fatos significa modificar todo o futuro – inclusive a nós mesmos, e nem sempre aquilo que a gente vê vai nos agradar e nos deixar felizes.

Uma produção original do canal de streaming Netflix, Quando nos Conhecemos é uma daquelas comédias românticas bem bobas e que só não surte o efeito desejado na plateia por causa de seu ator principal. Adam Devine repete as mesmas caras e bocas no decorrer do filme e isso se torna tão irritante com o tempo, que não conseguimos sentir empatia por ele e pela situação que ele vive – e deseja viver.

Quando nos Conhecemos (When We First Met, 2018)
Direção: Ari Sandel
Roteiro: John Whittington
Elenco: Adam Devine, Alexandra Daddario, Shelley Hennig, Andrew Bachelor, Robbie Amell

Avaliação/Nota

Nota
4.0

Média Geral



Post Tags

Jornalista e Publicitária


Comentários



Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.