logo

Tully | Resenha Crítica

publicado em:18/07/18 2:20 PM por: Kamila Azevedo Cinema

Quando uma mulher recebe a notícia de que será mãe, com certeza, ela será envolta de muitos sentimentos. Alguns positivos, alguns negativos, sensações de medo e de ansiedade… Talvez, o que ela ainda não se dê conta é o quanto que a vida dela e das pessoas ao redor dela irão mudar com a chegada desse novo ser.

Quando Tully, filme dirigido por Jason Reitman, começa, Marlo (Charlize Theron) já está prestes a ter seu terceiro filho. Então, ela já tem uma ideia do que esperar. Entretanto, como vamos percebendo, ela tem muitas coisas com as quais lidar – e que são tão ou mais importantes do que a chegada de um novo bebê: um marido (Ron Livingston) que acaba de ser promovido e está cheio de novos desafios no trabalho; uma filha mais velha (Lia Frankland) que está entrando naquela fase em que começa a se cobrar demais; e um filho (Asher Miles Fallica) que é tratado como uma criança peculiar, por causa de seus modos, mas que ainda não recebeu um diagnóstico concreto sobre qual a sua verdadeira condição.

Talvez, ao perceber o emaranhado de coisas com as quais Marlo tem que lidar, seu irmão Craig (Mark Duplass) tem uma brilhante ideia: a de presenteá-la com uma babá noturna, profissional que chega na residência da mãe às 22h30, para poder cuidar do bebê recém-nascido, enquanto a mãe aproveita de uma boa noite – e merecida – de sono. A dinâmica entre Marlo e Tully (Mackenzie Davis), a tal babá noturna, é um dos melhores elementos deste filme, na medida em que a protagonista encontra na jovem a empatia, o acolhimento e o apoio que um momento delicado como esse exige.

Tully pode ser encarado como um filme que nos mostra a verdade nua e crua da maternidade. Ao vermos a transformação da rotina de Marlo, numa sequência de cenas que nos revelam o quão extenuante pode ser isso, passamos a perceber como a maternidade é um momento extremamente solitário – e humano – na vida de uma mulher. Neste sentido, além de uma parceria novamente acertada entre Diablo Cody e Jason Reitman (que já nos presentearam com Juno e Jovens Adultos), temos a delicadeza das atuações de Charlize Theron e de Mackenzie Davis, representando a sororidade feminina em seu nível máximo.

Tully (Tully, 2018)
Direção: Jason Reitman
Roteiro: Diablo Cody
Elenco: Charlize Theron, Mackenzie Davis, Mark Duplass, Ron Livingston, Elaine Tan

Avaliação/Nota

Nota
9.0

Média Geral



Post Tags

Jornalista e Publicitária


Comentários


num primeiro momento o filme não tinha me chamado a atenção, mas considerando o elenco, diretor, roteirista e sua nota… tenho que dar uma chance!

Responder

Eu amei tanto esse filme! E seu texto me fez lembrar o quanto ele foi incrível,.. dá até vontade de assistir novamente!
Parabéns pela crítica!

Responder

Geisa, também adorei esse filme, especialmente a humanidade contida nele. Um relato honesto como esse, no cinema, é raro de se encontrar!

Responder

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.