logo

Gente de Bem | Resenha Crítica

publicado em:9/10/18 1:35 PM por: Kamila Azevedo Filmes

A personagem principal de Gente de Bem, filme dirigido e escrito por Nicole Holofcener, é um homem que está passando por uma grande crise de meia idade. Ao chegar aos 60 anos, Anders Harris (Ben Mendelsohn) decide recomeçar a sua vida, abandonando tudo aquilo que fez parte de sua existência até o momento: passando pela esposa Helene (Edie Falco) e culminando com seu emprego no mercado financeiro.

O que Gente de Bem nos mostra, no entanto, é que o tiro de Anders sai pela culatra. Enquanto ele acredita piamente que as mudanças vão ser benéficas para a sua vida, o que acompanhamos no decorrer do filme é a personagem entrando num estado de isolamento, de solidão e de monotonia – o que o faz valorizar justamente tudo aquilo que ele tinha e que ele acabou perdendo.

Apesar de ter uma premissa muito interessante, a verdade é que Gente de Bem se perde num ritmo um tanto lento. A narrativa demora a decolar e a sensação que temos é a de que não conseguimos entrar na pele destas personagens, de forma a podermos compreender tudo aquilo que eles estão passando. Nicole Holofcener é uma diretora especializada no retrato de conflitos do dia a dia, mas aqui ela, infelizmente, perdeu um pouco a mão.

Gente de Bem (The Land of Steady Habits, 2018)
Direção: Nicole Holofcener
Roteiro: Nicole Holofcener (baseado no livro escrito por Ted Thompson)
Elenco: Charlie Tahan, Connie Britton, Ben Mendelsohn, Thomas Mann, Edie Falco, Bill Camp, Michael Gaston

Avaliação/Nota

Nota
3.0

Média Geral



Post Tags

Jornalista e Publicitária


Comentários



Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.