logo

Cena da Semana

publicado em:13/05/12 9:44 PM por: Kamila Azevedo Cena da Semana

*Atenção aos Spoilers

(Six Feet Under – 5×03 – “Hold My Hand”)

“If my experience is anything to go by, motherhood is the loneliest thing in the world.”

No Dia das Mães, nada melhor do que homenagear aquela que é, provavelmente, a minha mãe favorita na ficção. Ruth Fisher (na interpretação sensacional e inesquecível de Frances Conroy) pode não ser a mãe mais perfeita. Ela errou – e muito. Mas, é um daqueles casos em que os erros que ela cometeu foram todos na melhor intenção, sempre visando aquilo que ela achava ser o mais adequado para seus três filhos – Nate (Peter Krause), David (Michael C. Hall) e Claire (Lauren Ambrose).

Uma mulher de emoções reprimidas, que nunca teve a oportunidade de fazer aquilo que realmente queria, que sempre era mantida alheia aos problemas de seus três filhos e que, na realidade, sempre manteve uma relação muito delicada com todos eles. Por isso mesmo, o mais surpreendente na trajetória de Ruth, ao longo das cinco temporadas de “Six Feet Under“, é perceber o fato de que ela tenha se transformado, no final, no esteio de sua família, na pessoa que seria a base e o apoio emocional maior dos seus três filhos – ou seja, Ruth seria aquela pessoa que sempre estaria presente, nos bons e nos maus momentos, ao lado deles.

Nada melhor do que um representativo do que Ruth Fisher era do que escolher uma cena que mostrava o relacionamento dela com sua única filha Claire. As duas sempre estiveram em pé de guerra. Claire poderia pensar que Ruth não a compreendia, que sempre a julgava. Mas, a verdade é que Ruth entendia muito bem Claire e só não queria que a filha cometesse os mesmos erros que ela (leia-se: ficar presa num papel de mãe muito cedo na vida, o que impediu de Ruth de realizar tudo aquilo que ela queria – coisa que ela só começou a fazer após ficar viúva e ver seus três filhos todos criados e encaminhados na vida). Ainda bem que ambas tiveram a chance de irem aparando a relação na medida em que Claire amadurecia mais e Ruth foi se livrando de todos os pesos que acumulava em vida.

E Ruth e Claire sempre estarão guardadas em meu coração como as minhas duas personagens favoritas de uma série que é a que eu mais amei acompanhar.

Feliz Dia das Mães!



A última modificação foi feita em:Maio 24th, 2012 as 1:20 am


Jornalista e Publicitária


Comentários


Kamila,hoje foi um dia muito especial pra mim.Eu amo a minha mãe.Ela é tudo pra mim:amiga,companheira,confidente(conversamos sobre tudo mesmo) e o amor da minha vida,vou casar,ter filhos(adoro crianças) mas minha mãe é o meu amor.Ela me aceita quando estou mal,estou triste,em momentos de abundancia,quando estou desempregado,quando estou ganhando bem…enfim ela é minha heroína.Hoje pensei em vc(aí de vc se questionar a veracidade disso!).Acordei cedo e fui comprar um buque de flores e comprar um jogo de banheiro e um perfume para ela.Fui nas lojas americanas e comprei o filme “Segredos do Poder” de Mike Nichols e vi a capa de “Crepusculo dos Deuses” e lembrei que havia comprado mas não tinha visto ainda.Depois do almoço assisti o filme e adorei.Realmente é uma obra prima(lembro que vc fez uma comparação coerente com “O Artista”).E o que me tocou foi a abordagem da morte do roteirista Joe Gilis(William Holden) e no final do filme quando os fotografos tiram ele da piscina.Tem uma frase linda que ele diz não compreender porque somos mais bem tratados na morte do que na vida.E pensei em vc durante a exibição do filme.Agora pensa comigo? se vc é generosa(ouve minhas reclamações no face rsrs),amiga(vc me deu um conselho que tenho usado:não se apresse,tudo na vida se encaixa) e das nossas ótimas conversas eu fico pensando o orgulho que a sua mãe teve de você.Vou parar aqui.Sou cânceriano e me emociono fácil.

Feliz Dia das Mães

Beijos

Responder

Paulo, que bom que o dia foi especial para você. Fico feliz! “Crepúsculo dos Deuses” é um dos meus filmes favoritos e considero esta obra o melhor filme de todos os tempos. Fiquei emocionada com as suas palavras. Muito obrigada! Beijos! Feliz Dia das Mães para a sua mãe.

Responder

Nossa, que saudade desse seriado, sou daqueles que não perdia um episódio e diante de tantos ótimos personagens quem sempre me chamou a atenção foram Claire e a Brenda por serem espontâneas e verdadeiras e se deixam levar sem se preocupar com o que as pessoas pensam.

Responder

“Six Feet Under” está na minha lista de possíveis séries para conferir no tempo livre. Há tantos comentários de pessoas ainda maravilhadas com esse seriado que dá até vontade de assistir logo.

Responder

Fabrício, eu tenho saudades de “Six Feet Under” também, tanto que acabei comprando todas as cinco temporadas do programa para poder rever sempre que eu pudesse. A Ruth, a Claire e o Nate sempre foram meus personagens favoritos. Em relação à Brenda: tive minhas fases de amor e ódio com ela…

Alex, assista logo esse seriado, que é sensacional mesmo e o melhor: nos ensina muita coisa sobre a vida em si!

Responder

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.