logo

Vingadores: Guerra Infinita | Resenha Crítica

publicado em:29/05/18 4:51 PM por: Kamila Azevedo Cinema

Há dez anos, a Marvel Studios vem cuidadosamente orquestrando as transposições das narrativas de seus personagens das histórias em quadrinhos para o cinema. É certo dizer que o estúdio consegue fazer isso com maestria, na medida em que os filmes derivados do seu universo narrativo são um verdadeiro sucesso. Com Vingadores: Guerra Infinita, filme dirigido pelos irmãos Anthony Russo e Joe Russo, a Marvel dá um corajoso passo à frente na sua trajetória cinematográfica.

Ao contrário de outros filmes, em que o prólogo serve como um elemento contextualizador da história, no caso de Vingadores: Guerra Infinita, o filme já inicia com uma cena de grande impacto: quando, após saírem de Asgard, a nave na qual se encontra Thor (Chris Hemsworth), seu irmão Loki (Tom Hiddleston) e demais habitantes do planeta, é atacada por Thanos (Josh Brolin) e seus comandados.

O que acontece nesta cena é somente uma pequena introdução do clima no qual Vingadores: Guerra Infinita se apoia. É um filme tenso, que se passa numa realidade bastante difícil, mas que está centrado nas ações de Thanos, que deseja conquistar as seis joias do infinito – que representam elementos como o espaço, a realidade, o poder, a mente, o tempo e a alma – de forma a poder colocar em prática o seu plano de equilibrar o universo, mesmo que, para isso acontecer, signifique o sacrifício de metade da população do nosso planeta.

Neste ponto, vale a pena fazer um adendo. Apesar do título do filme ser Vingadores: Guerra Infinita e de acompanharmos, mais uma vez, os heróis da Marvel enfrentando um grande desafio em prol da segurança do planeta Terra; a grande personagem deste filme é Thanos. É ele que move a trama, é ao redor dele que a história se concentra e são seus atos que determinarão o curso da história destes heróis daqui pra frente.

É importante perceber que Thanos é um vilão completamente diferente do qual estamos acostumados. Na forma como foi construído, ele é alguém que segue uma certa ética e cujas motivações são cristalinas. Sem dúvida, é uma personagem que irá nos impactar, mas que, principalmente, vai nos fazer não questionar os seus atos. Ele tem um grande poder em mãos e acredita que o que ele faz é um grande bem para a humanidade.

Como dissemos no início de nossa resenha crítica, Vingadores: Guerra Infinita é um passo corajoso na trajetória narrativa da Marvel. O que acontece neste filme, com certeza, determinará o que veremos daqui para frente. A sensação que se tem é que, com esta obra, a Marvel encerra um ciclo – de sucesso – e se prepara para iniciar um outro, com, quem sabe, novos Vingadores, novos heróis que ainda não apareceram neste universo… Se estamos certos, somente o tempo dirá…

Vingadores: Guerra Infinita (Avengers: Infinity War, 2018)
Direção: Anthony Russo e Joe Russo
Roteiro: Christopher Markus e Stephen McFeely (com base nos personagens criados por Stan Lee, Jack Kirby, Joe Simon, Steve Englehart, Steve Gan, Bill Mantlo, Keith Giffen, Jim Starlin, Larry Lieber, Don Heck)
Elenco: Robert Downey Jr., Chris Hemsworth, Mark Ruffalo, Chris Evans, Scarlett Johansson, Don Cheadle, Benedict Cumberbatch, Tom Holland, Chadwick Boseman, Zoe Saldana, Karen Gillan, Tom Hiddleston, Paul Bettany, Elizabeth Olsen, Anthony Mackie, Sebastian Stan, Idris Elba, Danai Guirira, Peter Dinklage, Benedict Wong, Dave Bautista, Vin Diesel, Bradley Cooper, Gwyneth Paltrow, Benicio Del Toro, Josh Brolin, Chris Pratt, Sean Gunn, William Hurt, Carrie Coon

Avaliação/Nota

Nota
8.0

Média Geral



Post Tags

Jornalista e Publicitária


Comentários



Deixe uma resposta